Publicidade
Concentração

Calçados, cabelos, noivas, brechós, restaurantes: conheça as ruas temáticas de Curitiba

Rua Riachuelo concentra lojas de m\u00f3veis e brech\u00f3s
Rua Riachuelo concentra lojas de m\u00f3veis e brech\u00f3s (Foto: Franklin de Freitas)

Concentrar numa mesma via uma série de estabelecimentos focados num mesmo tipo de negócio pode soar, numa primeira análise, como uma má ideia. Afinal, concorrência maior é também sinônimo de margem de lucro reduzida. Mas em Curitiba, esse pensamento tacanho foi há muito superado por grande parte dos comerciantes, que viram justamente nas ruas temáticas uma oportunidade para chamar mais a atenção da clientela.
Atualmente a Capital conta com mais de uma dezena de ruas temáticas, sendo que as principais você pode conferir nesta página. São vias conhecidas pelo tipo de produto que vendem, oferecendo ao consumidor grandes vantagens – a principal delas a possibilidade de encontrar o que procura tem ter de realizar grandes deslocamentos.
A mais conhecida dessas ruas curitibanas, provavelmente, é a Teffé, considerada a primeira rua temática de calçados do país. Uma vocação que começou a florescer na década de 1990, com as lojas de ponta de estoque, que comercializavam as sobras das fornecedoras ou produtos com pequenos defeitos com descontos generosos. Como esse tipo de negócio quase não existe mais, a rua acabou tendo de mudar o seu foco.
“Tivemos de mudar o foco e começar a trabalhar com outro apelo, que é a diversidade e o preço mais baixo do que as lojas de shopping, por exemplo. Então teve essa mudança do perfil, mas a concentração de lojas aqui começou com um lojista que veio, gostou e foi montando. Aos poucos vieram outras empresas, lojas de confecção, e aí acabou se tornando um polo comercial e começamos a trabalhar isso no marketing”, relata  Michelle Cristine Kohler Guimarães, sócia-proprietária da Beka Calçados, uma das primeiras empresas a se estabelecer na região.

As Ruas Temáticas de Curitiba
Rua Teffé - Calçados


Localizada no bairro Bom Retiro, é conhecida como a primeira rua temática de calçados do país, sendo há mais de 20 anos referência no segmento. Tudo começou com pequenas lojas de ponta de estoque e hoje a região concentra 12 lojas de calçados e outras 10 de confecção, que começaram a se instalar na rua depois do sucesso das lojas de sapatos.


Rua Riachuelo – Móveis e eletrodomésticos usados e brechós


Localizada na região central de Curitiba, é referência em lojas de móveis usados e objetos antigos, além de eletrodomésticos de segunda mão e brechós. Ideal para os apaixonados por moda retrô, a rua é desde 1850 uma referência comercial em Curitiba, sendo inicialmente ocupada por portugueses que vendiam propriedades, ferragens e secos e molhados. Em 2010, a via passou por um processo de revitalização. Várias fachadas foram restauradas e a rua ganhou nova iluminação, asfalto e calçadas.


Rua Bley Zornig - Malharias


O bairro em que a rua fica, o Boqueirão, é referência da indústria têxtil em Curitiba, tanto que tramita na Câmara Municipal um projeto que cria o Polo Têxtil das Malhas de Curitiba dentro do bairro Boqueirão. Mas o grande destaque da região, sem dúvidas, é a Rua Bley Zornig, que concentra dezenas de tecelagens, confecções e lojas que abastecem os estoques de atacadistas e varejistas. 


Rua Mal. Deodoro – Noivas


Para quem pretende se casar, uma visita à rua Marechal Deodoro, no Centro de Curitiba, é fundamental. Pelo menos oito lojas de noivas estão localizadas ao longo dos três quilômetros de extensão da via, cujo nome homenageia um importante militar e político brasileiro, Manuel Deodoro da Fonseca, que participou da proclamação da República e foi o primeiro presidente do Brasil.


Alameda Doutor Muricy – Tecidos e sapateiros


Num cenário repleto de edicações consideradas Unidades de Interesse de Preservação (UIPs), a Alameda Doutor Muricy se destaca também pela concentração de lojas de tecidos e sapateiros ao longo de seus 1,2 quilômetros de extensão. Estes, contudo, já não são mais encontrados com a mesma facilidade de outros tempos, diante da queda na procura por serviços de sapateiro. Já as lojas de tecidos ainda são encontradas aos montes.


Rua Manoel Ribas – Móveis, decoração e restaurantes


Responsável por fazer a ligação entre o Centro de Curitiba e Santa Felicidade, a rua divide sua vocação comercial entre lojas de móveis, de objetos de decoração e os famosos restaurantes – com especial destaque para o Novo Madalosso, inaugurado na década de 1970 e que em 1995 entrou para o Guinness Book como o maior restaurante da América Latina

Rua André de Barros – Cabelos


Próximo ao terminal do Guadalupe estabeleceu-se o comércio de compra e venda de cabelos. Os salões de beleza da região fazem a avaliação de quem deseja vender seu cabelo, avaliando o comprimento, o volume e a qualidade dos fios. Esses salões, então, vendem as mechas para outros salões, que os utilizam para fazer perucas ou alongamento capilar.
Ainda segundo Michelle, as vantagens em se ter essa concentração de empresas de um mesmo segmento numa mesma região é positiva. “O consumidor já sabe: pensou em calçados, quer uma coisa diferente, quer moda, já lembra da rua Teffé. Isso é bom para o lojista também, ter bastante concorrência agrega mais valor, o consumidor sabe que vai encontrar vários modelos, várias lojas”, explica.
A Rua Teffé, contudo, é apenas uma entre tantas vias temáticas de Curitiba. Outra que não poderia ficar de fora é a Rua XV de Novembro, que embora não seja uma rua exatamente temática, não poderia ficar de fora desta lista, já que é o principal polo comercial da cidade, reunindo estabelecimentos dos mais diversos tipos, como a sede da Associação Comercial do Paraná (ACP), já nas proximidades do prédio histórico da Universidade Federal do Paraná (UFPR).  

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES