Trote solidário

Calouros da UFPR participam do plantio de mais de 150 mudas de árvores

 

Aos 20 anos de idade, Vilson Félix plantou uma árvore pela primeira vez. O calouro do curso de Engenharia Mecânica é um dos 300 estudantes da Universidade Federal do Paraná (UFPR) que participaram do Trote Solidário Sustentável na quinta-feira (22). Estou curtindo muito, está sendo a melhor experiência da minha vida até agora, afirmou.

A ação, promovida pela Comissão de Arborização dos Campi da UFPR, teve o apoio de centros e diretórios acadêmicos. Nossa ideia foi promover uma atividade que envolvesse os alunos na conscientização ambiental e no comprometimento com a instituição, no sentido de ajudar a preservar a infraestrutura e o ambiente, explicou Carla Maria Camargo Corrêa, presidente da Comissão de Arborização.

Estudantes de diversos cursos plantaram mais de 150 mudas de espécies arbóreas nativas, doadas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP). Entre os objetivos do plantio está a recuperação de uma nascente localizada no Centro Politécnico, conforme definição do plano diretor da instituição.

Sou calouro de Engenharia Florestal e entrar na faculdade com esse trote é muito bacana. A iniciativa envolveu vários cursos, conheci muita gente, contou o estudante Luiz Henrique Rodrigues.

Natália Maroeli, de 17 anos, elogiou a recepção realizada pelos estudantes de Engenharia de Produção. Os veteranos do curso são incríveis, nos receberam muito bem. Achei esse trote muito legal e diferente, nunca imaginei plantar uma árvore.

Antes do plantio, os calouros foram recepcionados no Setor de Educação Profissional e Tecnológica e conheceram as ações desenvolvidas no Plano de Arborização da universidade.

Esse ato de arborizar o campus é uma excelente iniciativa, já que o espaço também é de vocês. Tudo isso foi construído com dinheiro público. Sejam muito bem-vindos à UFPR, destacou o diretor do Setor de Ciências da Terra, Pedro Luis Faggion, durante o acolhimento aos novos estudantes.

A recepção surpreendeu a caloura Camila Portugal, do curso de Química. Eu sempre tive outra imagem sobre o trote de fora da faculdade, mas entrar na UFPR foi muito melhor do que imaginei. Essa ação, além de ser gratificante, faz bem para a natureza e para as outras pessoas, disse.