Publicidade
Vire a página

Campanha vai ajudar mulheres no enfrentamento da violência doméstica

(Foto: SMCS)

“Existe vida após um relacionamento abusivo e você saber que tem alguém que pode contar, renova a coragem. Em mim, começou a nascer uma nova perspectiva”, esses depoimentos fazem parte do livro “Vire a Página” que conta a história de violência doméstica e superação de mulheres, lançado nesta quarta-feira (20/3), pelo prefeito Rafael Greca.

O livro está disponível para download no site vireapagina.com.br com histórias de 19 mulheres que sofreram violência e saíram do ciclo de agressões depois de serem atendidas na Casa da Mulher Brasileira (CMB) ou na Pousada de Maria. A Prefeitura de Curitiba também irá disponibilizar uma versão pocket imprensa em Unidades de Saúde e escolas, além das dez regionais da cidade, durante ações do Ônibus Lilás.

Durante o lançamento do livro, o prefeito Rafael Greca falou da importância de desenvolver políticas para as mulheres. “Uma cidade mede a sua grandeza pela forma e atenção a que se dedica aos mais vulneráveis. O amor é a condição da nossa missão. Tanto que Margarita e eu criamos a primeira pousada para mulheres vítimas de violência há 26 anos, a Pousada de Maria”, afirmou Greca.

“Emociona saber que essas mulheres tiveram a coragem necessária para mudar a página e mudar suas vidas”, disse a primeira-dama Margarita Sansone.

Segundo a assessora municipal de Direitos Humanos e Política para Mulheres, Elenice Malzoni, o lançamento do material da campanha Vire a Página reuniu 200 pessoas entre autoridades e representantes de movimentos sociais. “Queremos garantir os direitos das mulheres, criar ações de prevenção e combate à violência, e programas que construam para o desenvolvimento pessoal e profissional das mulheres curitibanas”, disse Elenice.

Marina Cremasco faz parte do coletivo “Não é Não - Curitiba”, grupo que discute e combate o assédio por meio da produção e distribuição de tatuagens temporárias. Ela acredita que a campanha Vire a Página é uma iniciativa importante para salvar vidas. “As mulheres são encorajadas a procurar ajuda e denunciar os agressores”, comentou Marina.

Vire a Página

Nesta-quarta-feira (20/3) também foi lançado o site da campanha Vire a Página, idealizado pela Master Comunicação e a versão digital do livro para download. O livro digital traz de um lado o Boletim de Ocorrência e do outro uma carta feita à mão pelas mulheres que participaram do projeto. Também tem estatísticas sobre a violência contra a mulher, orientação sobre os tipos de violência e os canais de denúncia.

A campanha também conta com book trailer em animação, divulgação em redes sociais e revistas com dados e estatísticas da violência contra a mulher, vídeos embarcados nos ônibus da cidade sobre os cinco tipos de violência e a distribuição de 5.000 exemplares da versão pocket do livro.

No site, a população poderá acessar os serviços da Prefeitura direcionados ao público feminino, como: Programa Mãe Curitibana, Pousada de Maria, Patrulha Maria da Penha, Unidade de Acolhimento a Pessoa Idosa, Centros de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Rede de Proteção, Prêmio Empreendedora Curitibana, entre outras.

Homenageadas

O prefeito Rafael Greca entregou menções honrosas a três mulheres emblemáticas para o enfrentamento da violência doméstica e protagonismo feminino curitibano. A primeira delas foi a primeira-dama Margarita Sansone, idealizadora da Pousada de Maria, que completa 26 anos de acolhimento às vítimas em Curitiba.

Seguida pela vereadora Maria Letícia Fagundes, fundadora da ONG Mais Marias. “Estar aqui hoje e receber essa homenagem é muito gratificante, assim como ver a campanha Vire a Página, que acompanhei a criação, sendo lançada”, disse a vereadora. 

A presidente da Associação Fênix, Sandra Dolores de Paula Lima, que oferta atendimento às vítimas e suas famílias, foi a última das homenageadas e contou sobre o trabalho desenvolvido por ela. “Na Fênix as mulheres, suas famílias e até os agressores recebem atendimento. Queremos prevenir a violência, por meio da conscientização. Mudar a cultura machista”, afirmou Sandra.

DNA Mulher Brasileira

O prefeito Rafael Greca assinou um termo de voluntariado entre a Casa da Mulher Brasileira (CMB) e as pastoras que coordenam o projeto DNA da Mulher - Inspirando você a ser protagonista da sua história. O objetivo é o desenvolvimento de ações voluntárias em prol das mulheres atendidas pela CMB.

A pastora Érica Checan, representante do grupo de 20 instituições religiosas que participam do projeto, falou da importância de atuar junto ao poder público no combate à violência. “Precisamos unir nossas mãos para tirar as mulheres desta condição ajudá-las a que recomecem as suas vidas”, afirmou Érica.

A cerimônia ainda contou com a entrega de certificados para mulheres que participaram de uma capacitação na CMB em fevereiro deste ano, pelo projeto DNA Mulher. Segundo Sandra Praddo, coordenadora-geral da Casa da Mulher Brasileira, foram 60 voluntárias que puderam conhecer os serviços da CMB. “Elas aprenderam sobre os tipos de violência - física, sexual, moral, patrimonial e psicológica”, explicou Sandra.

Presenças

Participaram do evento a secretária Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Sandra Terena; a coordenadora das delegacias da Mulher, Marcia Marcondes; o secretário municipal da Comunicação, Israel Reinstein; as assessoras do gabinete do prefeito, Cynthia Juraszek Maia Batista e Monica Santanna; o secretário do Governo Municipal e presidente do Ippuc, Luiz Fernando Jamur; o assessor de Políticas de Diversidade Sexual, Allan Johan; e o assessor de Políticas Raciais, Adegmar Silva, o Candiero.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES