Publicidade
História

Campeões do mundo, Djalma Santos, Bellini e Kléberson jogaram no Athletico

Djalma Santos com a camisa do Athletico Paranaense
Djalma Santos com a camisa do Athletico Paranaense (Foto: Divulgação/Athletico.com.br)

O Athletico Paranaense contou na história com os serviços de jogadores campeões mundiais pela seleção brasileira. Nomes relevantes do futebol nacional como o zagueiro Bellini, o lateral-direito Djalma Santos e o volante Kléberson têm nos currículos títulos tanto em Copas do Mundo como campanhas importantes pelo time rubro-negro de Curitiba.

A ligação da equipe com grandes ídolos do futebol brasileiro começou para valer em 1968. Após anos sem títulos estaduais, a diretoria foi em busca de jogadores experientes e buscou reforços no futebol paulista. Bellini e Djalma Santos vieram com a bagagem de dois títulos de Copas do Mundo pela seleção brasileira e carreiras profissionais de quase 20 anos.

Os dois encerraram a trajetória como profissionais no Athletico-PR e tiveram passagens importantes. Bellini se aposentou em 1969, um ano antes do time comemorar o final de 12 temporadas de jejum de títulos no Campeonato Paranaense. Quem teve a oportunidade de dar a volta olímpica foi Djalma Santos, que jogou até os 43 anos, marca incomum na época.

Nos anos 2000, o Athletico-PR teve a honra de colocar um jogador na Copa do Mundo. O volante Kléberson foi chamado pelo técnico Luiz Felipe Scolari para jogar o Mundial de 2002, na Ásia, e terminou como campeão e um dos destaques daquela equipe. O jogador jovem, então com 23 anos, havia acabado de ser campeão brasileiro com o time rubro-negro no ano anterior.

Kléberson deixou o time em 2003 para se transferir para o Manchester United. O volante chegou ao Athletico-PR graças a uma parceria firmada entre o clube e o PSTC, time localizado em Londrina (PR), especializado em categorias de base para revelar talentos. Pelo mesmo caminho de Kléberson trilharam outros nomes importantes como o meia Jadson, o atacante Dagoberto e o volante Fernandinho, todos com passagem também pelo time rubro-negro.

DUPLAS - Os torcedores mais antigos também se lembram da campanha no Brasileirão de 1983. A equipe foi semifinalista da competição liderada pelos gols do chamado Casal 20, uma dupla afinada de ataque formada por Washington e Assis. O time só foi eliminado na competição pelo Flamengo, de Zico. Logo depois os atacantes repetiram a parceria histórica e fizeram sucesso no Fluminense.

Na década de 1990, a grande dupla de ataque foi Oséas e Paulo Rink. Os dois se destacaram no título da Série B de 1995 e tiveram carreiras de sucesso nos anos seguintes. Rink chegou a defender a seleção da Alemanha na Eurocopa de 2000, enquanto que o parceiro ganhou a Copa Libertadores de 1999 pelo Palmeiras.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES