Publicidade
Solidariedade

Carta da órfã Júlia, que morreu por causa de leucemia, à voluntária comove a web

(Foto: Reprodução Facebook)

A carta da menina Julia, de 8 anos, escrita antes de morrer por uma enfermeira a amiga voluntária, a bancária Gabriella Pereira, 23 anos, emocionou o País. Nela, a garotinha órfã se despede da única pessoa que sempre a ia ver no hospital, em São Paulo, onde morreu em decorrência de uma leucemia.

Júlia vivia em um abrigo para crianças em Carapicuíba e Gabriella é de Barueri, duas cidades da Grande São Paulo. O tratamento de Júlia era feito em um hospital de São Paulo.

A postagem de Gabriella já contava com mais de 36 mil compatilhamentos e 79 curtidas nesta manhã de quarta-feira, 16. Nela ela conta que conheceu Julia há dois anos em um abrigo, onde estava a espera de uma adoção.

A carta e a postagem são emocionantes.

Veja o conteúdo da postagem de Gabriella:

"A magrelinha da tia Gabi se foi...
Conheci a Júlia a uns 2 anos, em um abrigo de crianças abandonadas (esperando por adoção), nesses trabalhos sociais que faço, desde então, não era mais um trabalho, era amor. Dia das crianças, aniversário, natal, entre outras datas, sempre tive comigo que precisava dar uma passadinha pra ver a magrelinha, pq as outras crianças tinham alguém que visitava e ela tinha apenas eu, sua irmã foi adotada quando tinha meses, mais a Júlia estava com 8 e tinha leucemia e lutava pela cura todos os dias.
Tenho comigo que fiz tudo que pude, todos os pedidos que fez em vida foram realizados e não me arrependo de nenhum deles.
A única coisa que tive acesso, foi ao diário que ela pediu para enfermeira entregar na minha mão e um batom cor de rosa, e mesmo com todas as dificuldades que ela passou em 8 anos de vida, ainda me deixou uma mensagem me apoiando com a sua partida.
Só faço aqui, um pedido as mães que colocam crianças no mundo e abandonam, vocês não fazem idéia do que é uma criança crescer sem ter um apoio fixo, é um funcionário do orfanato que dá um pouco de atenção, depois um enfermeiro que pega amor, ou a mãe de um coleguinha que leva um presente no Natal, ou às vezes, a mãe do coleguinha está em uma viagem, o enfermeiro trocou de plantão e o funcionário trocou de emprego, nessas horas ela está sozinha novamente. Não tem quem ensinar a escrever, não tem quem ensinar a segurar o garfo nas refeições, não tem quem fazer um penteado no cabelo, e nem passar o batom que ela tanto gostava.
Mais enfim, tudo isso acabou, agora a Júlia é uma estrela e uma das mais lindas e guerreiras que pode existir, foi com o Papai do Céu que ela tanto queria.

A dor é grande, e o alívio também, ela descansou e eu deixo essa homenagem, pela força que teve e por tudo que foi nesse mundo.

A tia Gabi te ama, você será minha eterna melhor amiga e estará sempre em meu coração "

O texto da carta de Julia:

"Quero pedir obrigado por me conhecer por vir me ver e po me dar o vídeo game que te pedi, eu sabia que era muito caro e para comprar o vídeo game precisava vender uma casa, mesmo assim você me deu. Obrigada pela sandália de salto que me deu e por trazer aquele lanche que eu sempre vi na TV. Obrigada por vir me ver no meu aniversário e trazer sorvete de morango.
Você é a minha melhor amiga e eu queria que você fosse a minha mãe, pedi para o papai do céu me fazer sarar, porqque ai você ia arrumar os documentos e me adotar. Você disse que ia ser dificil, mas eu ia pedir para o juiz deixar você ser a minha mãe, e ele ia deixar, porque você já é grande e até dirige um carro.
Quando eu crescer quero ser bonita igual a você! Também quero dizer na sua carta que eu amei que colocou bexigas no meu aniversário e levou até brigadeiro.
Tia Gabi eu te amo e estou pintando as bolinhas do calendário igual você disse e só falta duas fileiras para o dia do seu aniversário, mas estou muito doente e com dor. Por isso, se eu for morar com o papai do céu, não fica triste, porque eu te amo e só você é a minha melhor amiga.
Júlia"

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES