Gente de Bem

Cartão Comida Boa vai beneficiar mais 22 mil famílias

Programa paranaense investiu mais de R$ 50 milhões desde dezembro
Programa paranaense investiu mais de R$ 50 milhões desde dezembro (Foto: Divulgação/Sejuf-PR)

O Cartão Comida Boa, programa do Governo do Paraná voltado à população em situação de vulnerabilidade, auxiliará a composição de renda de mais 22 mil famílias do Estado. A iniciativa garante, principalmente, a segurança alimentar dessas pessoas. A ampliação foi tema abordoado pelo secretário da Justiça, Família e Trabalho, Rogério Carboni.

Mensalmente, o programa coordenado pela Secretaria da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) atende a cerca de 90 mil famílias paranaenses com um crédito de R$ 80, para compra de alimentos e artigos de necessidade imediata. Os novos cartões emitidos vão substituir o benefício de famílias que deixaram de receber, após revisão de critérios que ocorre a cada três meses. Esta análise trimestral assegura que o público que mais precisam do auxílio seja priorizado.

O público-alvo do programa é formado, prioritariamente, por famílias que não são atendidas pelo Auxílio Brasil, programa de transferência de renda do governo federal. Em todo o Paraná, desde dezembro de 2021, foram alcançadas 197.816 famílias, com um investimento de quase R$ 50,4 milhões.

Auxílio Brasil — Levantamento feito pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) sobre a demanda reprimida do Programa Auxílio Brasil (PAB) indica que em abril deste ano 2,7 milhões de famílias com perfil para receber os recursos ainda não foram contempladas. A fila de espera é considerada a maior desde novembro de 2021, quando o PAB substituiu o Programa Bolsa Família (PBF). A CNM apontou que em números absolutos, o Sudeste (981 milhões de famílias) e Nordeste (963 milhões de famílias) continuam sendo as regiões com maior demanda reprimida em abril de 2022. No entanto, Norte e Centro-Oeste têm apresentado o maior crescimento com, respectivamente, 232% e 139%.

Público-alvo

Famílias atendidas

As famílias ou indivíduos atendidos pelo programa são aqueles devidamente cadastradas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), que possuam renda família per capita mensal não superior a R$ 210. Em caso de disponibilidade orçamentária, o programa amplia seu atendimento para famílias que também recebam o Auxílio Brasil.