Publicidade
Política em debate

Carteira isenta

(Foto: Dálie Felberg)

O deputado estadual Soldado Fruet (PROS) apresentou projeto que pretende isentar pessoas com renda familiar mensal de até dois salários mínimos do pagamento das taxas do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran/PR) para obtenção da primeira Carteira Nacional de Habilitação (CNH) de qualquer categoria. A matéria institui o Projeto Social de Formação, Qualificação e Habilitação Profissional de Condutores de Veículos Automotores.

Fomento
“O objetivo é prestar assistência aos desamparados, garantindo uma vida digna através da oferta de melhores condições de trabalho e transporte, que são direitos constitucionais de todo cidadão”, defende Fruet. Segundo ele, a implantação da CNH social fomentaria a economia com arrecadação de impostos, além de beneficiar os setores de transporte de cargas e de passageiros, incluindo aplicativos de carona compartilhada e de entregas. Atualmente, as taxas do Detran para primeira habilitação totalizam R$ 448,16

Ferramentas
Presentes nos perfis oficiais do Tribu nal Superior Eleitoral (TSE) nas redes sociais Twitter, Facebook e Google Assistant, os assistentes virtuais – ou, na linguagem técnica, bots – ajudam os internautas a acessarem diversos serviços gratuitos que são oferecidos pela Justiça Eleitoral. Com a ajuda dessas ferramentas, os eleitores têm, entre outras, informações sobre situação eleitoral, local de votação e número do título, além de serviços como emissão da Certidão de Quitação Eleitoral, aplicativo e-Título, biometria, prazos e procedimentos eleitorais. Ao ser acionado, o robô virtual direciona o usuário diretamente à página de consulta.

Bots
É muito fácil acionar qualquer um dos bots. No caso do Twitter e do Facebook, basta acessar o perfil do TSE e clicar na ferramenta de envio de mensagens privadas. Ali, o usuário já será atendido pelo assistente virtual. Já no Google Assistant, presente nos smartphones com sistema operacional Android, o contato com o assistente virtual se dá ao acionar o aplicativo e dizer a solicitação ou dúvida. Caso o usuário não possa falar, o aplicativo também permite que os termos da pesquisa sejam digitados.

Superávit
O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR) julgou irregulares as contas de 2016 da Câmara Municipal de Carlópolis (Norte Pioneiro) de responsabilidade de seu então presidente, Humberto Benedito Domingues. O motivo da desaprovação foi o resultado superavitário de recursos livres sem uma correspondente destinação para esses valores. O ex-gestor recebeu duas multas, totalizando R$ 7.279,30, valor válido para pagamento em julho.

Morre ‘Maneco’, o prefeito de Missal
O prefeito de Missal, Hilário Jacó Willers, conhecido como Maneco, morreu na noite deste sábado, 20 de julho de 2019, no Hospital Ministro Costa Cavalcanti. Ele teve um infarto.  Maneco deixa a mulher Nádia Fracaro, e duas filhas, Ana Flávia e Angélica. Hilário Jacó Willers, o Maneco, nasceu no dia 24 de julho de 1961, no distrito de Caibaté, município de São Luiz Gonzaga - RS. Completaria 58 anos no próximo dia 24 de julho, véspera do aniversário de Fundação de Missal. Filho de Eugênio e Valesca Willers, veio para Missal, com os pais, em 1967. Trabalhou com a equipe que buscou a emancipação de Missal. Na política, foi secretário de Obras de Missal de 1997 a 2003.  Foi vice-prefeito entre 2009 e 2012, e de 2013 a 2016, tendo como prefeito Adilto Ferrari. Foi eleito prefeito em 2016, e assumiu em 2017, tendo como vice Eduardo Staudt. O velório e sepultamento foram ontem à tarde.

Bebida
A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, propôs ao Supremo Tribunal Federal três ações diretas de inconstitucionalidade contra leis estaduais que regulamenta o comércio e consumo de bebida alcoólica em estádios de futebol. As ações questionam leis do Paraná, Mato Grosso e Cearáque autorizam a venda das bebidas em estádios, em descompasso com as normas gerais editadas pela União.

Violência
Dodge lembra que o Estatuto do Torcedor foi alterado em 2010 para combater a violência nos estádios, proibindo em todo o território nacional, o porte de bebidas alcoólicas em eventos esportivos. Segundo ela, a palavra ‘bebidas’ “não foi incluída no texto legal para criar regra inócua” e não deve ser entendida “como referência a líquidos como água, sucos ou refrigerantes, considerando que estes não guardam relação conhecida com episódios de violência entre torcidas”.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES