Publicidade
Pandemia avançando

Casos de Coronavírus na Região Metropolitana de Curitiba aumentam 52% em 13 dias

Campina Grande do Sul foi a primeira a decretar lockdown na região
Campina Grande do Sul foi a primeira a decretar lockdown na região (Foto: Prefeitura de Campina Grande do Sul )

A infecção pelo novo coronavírus registrou expressivo avanço nos últimos 13 dias na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Dados levantados pela reportagem do Bem Paraná com base nos boletins epidemiológicos divulgados diariamente pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) mostram que o número de casos confirmados de Covid-19 registrou um salto de 51,98% entre os dias 13 e 26 de maio, passando de 858 para 1.304. No mesmo período, o número de óbitos cresceu 27,27%, passando de 44 para 56.

Desde o dia 12 de março, quando foi confirmado o primeiro caso da doença, até o dia 13 de maio se registrou uma média diária de 14 diagnósticos positivos para Covid-19. Já nos últimos 13 dias foram 34 confirmações por dia. O levantamento revela ainda que 24 dos 29 municípios que compõem a RMC (o equivalente a 82,8% do total) já confirmaram pelo menos um caso da doença, enquanto nove deles (31%) já registraram pelo menos uma morte.

Considerando-se todos os municípios da região metropolitana, temos que para cada grupo de 2.803 pessoas há um caso confirmado de Covid-19. O dado, contudo, varia significativamente de município para município. Em Curitiba, por exemplo, há um caso para cada 2.369 habitantes. Já em Quitandinha e Agudos do Sul, duas das cidades mais impactadas pelo coronavírus, proporcionalmente, a média é de uma infecção para cada 762 e 852 pessoas, respectivamente.
Os quatro municípios que ainda não confirmaram casos de Covid-19 são: Adrianópolis, Bocaiúva do Sul, Cerro Azul, Dr. Ulysses e Tunas do Paraná.

Campina Grande do Sul decide pôr fim ao lockdown

O município de Campina Grande do Sul, que soma 29 casos confirmados e três mortes por Covid-19, decidiu pôr fim ao lockdown que atingia três bairros da cidade, Capivari, Ribeirão Grande e Jaguatirica. A medida, com duração prevista de duas semanas, se encerra amanhã e não será renovada, informou ao Bem Paraná o secretário municipal de Ordem Pública e Segurança, Jefferson Rosa Cordeiro.

“Decretamos o lockdown para controlar o fluxo de pessoas e fechamos as entradas e saídas do bairro. Queríamos fechar para não disseminar o vírus. Houve o isolamento e eliminamos o vírus [dos bairros isolados], não tem mais”, comenta Cordeiro, relatando ainda que uma idosa, irmã de duas mulheres de uma mesma família que faleceram em decorrência da Covid-19, recebeu alta no último domingo do hospital onde estava internada e voltou para casa. A morte das duas mulheres, mãe e filha, inclusive, foi determinante para que a cidade optasse por decretar um ‘lockdown localizado’.

“A comunidade fez carreata, respeitando o lockdown. O marido também foi infectado, mas ficou em casa, não chegou a ser hospitalizado, e encerrou [o isolamento social] no domingo. Estamos avançando”.

Em Quitandinha, culto ajudou a espalhar o vírus

Cidade da RMC mais impactada proporcionalmente até aqui pelo coronavírus, o município de Quitandinha possui cerca de 19 mil habitantes e até ontem, conforme a Sesa, havia confirmado 25 casos de Covid-19, com um óbito – o próprio município, entretanto, já confirma 27 infecções pelo novo vírus.
Segundo a secretária municipal de Saúde, Caroline Przybylok, a cidade registrou os dois primeiros casos da doença ainda no início da crise do coronavírus no Paraná, no começo de março. Duas semanas atrás veio o terceiro caso – uma mulher que veio a óbito na segunda-feira – e na sequência verificou-se um avanço rápido do contágio.

“Esse surto, foram 18 casos numa só localidade. Uma pessoa veio de Santa Catarina infectada e aí começou a transmissão. Algumas pessoas se contaminaram num culto, são da mesma igreja, mas alguns também podem ter se contaminado entre a vizinhança, as casas são muito próximas”, explica a secretária.
Ainda segundo Caroline, foram feitas barreiras nessa localidade mais afetada, para controlar a entrada e saída de pessoas, e equipes da Saúde estão na rua, orientando a população. “Uma família, especialmente, tem resistência muito grande às medidas de prevenção. É virar as costas que recebemos denúncia de que saíram, receberam visita, não usam máscara... Essa é a maior dificuldade. A população em si não está consciente, não está aderindo [às medidas de isolamento e distanciamento social]”, lamenta.

Curitiba registra caso de morte de paciente sem doença crônica pela primeira vez

Curitiba registrou, ontem, mais uma morte de morador da cidade infectado pelo novo coronavírus. A vítima foi uma mulher de 49 anos, sem registro de comorbidades e que estava internada há uma semana. Até agora, 39 pessoas morreram na cidade pela Covid-19. O fato da paciente não ter histórico médico chamou a atenção, pois ela supostamente não estaria no grupo de risco para o novo coronavírus.

O boletim divulgado pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) registrou ainda 14 novos casos confirmados, totalizando 975 moradores de Curitiba infectados pelo novo coronavírus. Desse total, 714 estão recuperados.

Paraná
A Secretaria de Estado da Saúde confirmou, ontem, mais 182 confirmações de Covid-19, e o total de residentes no Paraná com a doença passou para 3.512. O número de óbitos aumentou para 159, três a mais que o informe de segunda-feira. Um caso confirmado foi transferido para outro Estado.
Os três pacientes que faleceram pela Covid-19 estavam internados, são dois homens (Cascavel e Rancho Alegre) e uma mulher de Curitiba, que tinha 70 anos, e morreu no domingo passado.

País
O Brasil voltou a ter mais de mil mortes confirmadas em 24 horas. Segundo o boletim do Ministério da Saúde foram 1.039 óbitos confirmados entre a segunda e ontem, elevando o total para 24.512 casos.
O número de casos positivos da doença totalizou 391.222, ontem, com 16.324 novos casos entre o boletim da segunda e o de ontem.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES