Ceni lamenta rebotes cedidos ao Palmeiras e analisa goleada sofrida na final

Rogério Ceni teve, neste domingo, sua sequência de três vitórias consecutivas em finais de Estaduais quebrada no Allianz Parque. A goleada sofrida pelo São Paulo, que ficou com o vice do Campeonato Paulista, expôs grandes dificuldades da equipe tricolor e mostrou que os rivais vivem momentos distintos no trabalho dos trinadores. Rogério Ceni analisou o conjunto das finais do Paulistão e lamentou a virada sofrida diante do Palmeiras.

"Não conseguimos, infelizmente, jogar como vínhamos jogando outros jogos importantes, como as quartas, as semis, contra o Corinthians, contra o Palmeiras, os dois clássicos da fase classificatória. Infelizmente, não fomos capazes de envolver o Palmeiras", iniciou o ex-goleiro, que também reclamou dos rebotes perdidos pelo São Paulo que levaram o time alviverde a criar muitos lances perigosos.

"A gente perdeu muito a segunda bola. Todo lateral batido na área, escanteio batido na área... Teve um que o Palmeiras chutou quatro vezes no mesmo lance. Hoje, infelizmente, não conseguimos render o que esperávamos e o Palmeiras tem uma equipe experiente, madura. Mérito do Palmeiras também. Infelizmente, de maneira geral, nós todos fomos abaixo da média que o São Paulo foi no Campeonato Paulista", explicou Rogério Ceni.

O treinador são-paulino ressalta as qualidades do adversário e disse entender que importantes aspectos do jogo não foram bem desenvolvidos pelo seu time. O São Paulo conseguiu controlar o volume inicial de jogo do Palmeiras, mas sucumbiu em outros momentos e sofreu quatro gols no clássico Choque-Rei.

"O Palmeiras é uma equipe que precisa ser marcada muito sob pressão. Nesse campo rápido, eles conseguem inverter muito a bola e jogar muito na direção do gol. Nós baixamos um pouquinho a linha de marcação. E acho, que dos três jogos, tivemos mais sucesso, defensivamente nos 15 primeiros minutos", iniciou Ceni. "Não conseguimos criar tanto, mas não demos tantos espaços. E aí, depois, com essas bolas lançadas na área, com muitos rebotes, em momentos que não conseguimos nem tirá-la da área, para botá-la à frente. Tentamos a ligação direta com o Calleri pra sair o jogo, mas não foi possível", argumentou.

Apesar do jogo ruim no Allianz Parque e do péssimo resultado, Rogério Ceni se concentra em fazer a equipe repetir mais vezes a atuação do primeiro jogo da final, em que ganhou por 3 a 1. O próximo desafio tricolor é a estreia na Copa Sul-Americana, na quinta-feira, às 21h30. O São Paulo viaja ao Peru para enfrentar o Ayacucho, na altitude de 3.400 metros da cidade de Cuzco.