Publicidade
Censura

Chefe de comunicação da PRF do Paraná é afastado após reportagem sobre aumento de acidentes

Após reportagem, PRF passou a centralizar informações em Brasília e mandou apagar imagens de flagrantes de alta velocidade
Após reportagem, PRF passou a centralizar informações em Brasília e mandou apagar imagens de flagrantes de alta velocidade (Foto: Fernando Oliveira/PRF)

O chefe do setor comunicação da Polícia Rodoviária Federal, Fernando Cesar Borba de Oliveira, foi afastado do cargo pela cúpula da corporação, em Brasília, após a veiculação de uma reportagem que mostrava o aumento do número de acidentes nas rodovias federais com o relaxamento das medidas de isolamento social motivadas pela pandemia do coronavírus. A demissão foi publicada no Diário Oficial da União na última segunda-feira.

Ao jornal O Estado de São Paulo, Oliveira, que está há sete anos na corporação e ocupava o cargo há três anos, afirma que a demissão foi motivada por um suposto “desalinhamento” das informações prestadas por ele à imprensa em relação à operações de fiscalização com radares de velocidade. Além disso, a direção da PRF em Brasília também teria considerado que o policial e jornalista estaria contrariando a posição política do governo Bolsonaro, que defende a flexibilização do isolamento. Com o afastamento, Oliveria terá que voltar ao serviço operacional nas rodovias. Além disso, a PRF determinou que todas as informações a serem passadas ao público ou à imprensa têm que ser centralizadas na Coordenação-Geral de Comunicação Social (CGCOM), em Brasília.

Leia mais no blog Política em Debate

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES