Publicidade
Maio amarelo

Ciclistas ‘atropelam’ mais do que são atropelados no Paraná

Só no ano passado, 885 pedestres foram internados em decorrência de acidentes com veículos a pedal, como bicicletas, triciclos e velocípedes

Uma das principais vítimas da violência no trânsito, os ciclistas por vezes se tornam também algozes, principalmente quando se envolvem em ocorrências com pedestres. Segundo dados do Ministério da Saúde, em 10 anos um total de 6.402 pedestres precisaram ser hospitalizados em decorrência de colisões com veículos a pedal no Estado, como bicicletas, triciclos e velocípedes.

Apenas em 2017 foram 885 ocorrências de pedestres internados por conta desse tipo de situação. Na comparação com 2016, quando haviam sido registradas 641 internações, houve alta de 38,1%. Isso fez com que a média de pedestres internados por dia em decorrência de traumatismos provocados por acidentes com veículos a pedal subisse de 1,75 para 2,4. Ou seja, temos no Paraná aproximadamente 5 pedestres internados a cada dois dias.

Curiosamente, então, temos um cenário em que os ciclistas 'atropelam' mais do que são atropelados. É que o número de pedestres hospitalizados por conta de colisões com veículo a pedal é maior do que o número de ciclistas hospitalizados em decorrência de acidentes de trânsito com os mais diversos modais.

Se nos 10 anos analisados (2008-2017) o Paraná registrou 6.402 internações de pedestres que se envolveram em acidentes com bicicletas ou triciclos, nesse mesmo período 5.130 ciclistas acabara no hospital em decorrência dos mais diversos tipos de acidente.

A grande diferença com relação envolvendo veículos motorizados, contudo, é que mortes são raras nas colisões entre pedestres e ciclistas. Entre 2008 e 2016 (último ano com dados disponíveis no Sistema de Informação sobre Mortalidade - SIM), foram 19 pedestres vitimados nesse tipo de ocorrência. Isso é equivalente a 0,33% do total de 5.784 pedestres vitimados no trânsito paranaense no período. Já com relação aos ciclistas, apenas quatro das 1.239 mortes tiveram como causa colisões com pedestres ou animais.

Ademais, vale lembrar o que já apontava a ONU sobre a situação do trânsito no Brasil em 2009, no Relatório do Estado Global sobre a Segurança nas Estradas: "Os usuários mais vulneráveis do trânsito passam por riscos adicionais porque as suas necessidades não são levadas em consideração no planejamento das vias públicas, construídas para o fluxo de veículos motorizados, geralmente de quatro ou mais rodas.

Pouca atenção é dada para as necessidades de pedestres e ciclistas, o que significa que esses grupos devem enfrentar riscos crescentes no uso e na travessia de vias públicas."

Nas ruas

Pedestres traumatizados em colisão com veículo a pedal – Paraná
(Nº de internações)

2017

885

2016

641

2015

766

2014

723

2013

857

2012

557

2011

339

2010

564

2009

600

2008

470

TOTAL

6.402



Fonte: Ministério da Saúde - Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS)

 

DESTAQUES DOS EDITORES