Curitiba sobre duas rodas

Cicloativistas e Ippuc fazem contagem de ciclistas nesta semana

(Foto: Franklin de Freitas)

A Associação de Ciclistas do Alto iguaçu (Cicloiguaçu), em parceria com o Instituto de Pesquisa e Planejamento de Curitiba (Ippuc), está nas ruas de Curitiba para um novo levantamento sobre o tráfego de bicicletas na capital paranaense. Conforme a Cicloiguaçu, as contagens volumétricas de ciclistas começaram a ser feitas em 2008 em Curitiba, sendo que desde 2013 a Associação, ano após ano, vem realizando com a ajuda de voluntários, o trabalho de contagem de forma a criar um banco de dados que pode ajudar no balizamento das políticas públicas em favor da bicicleta, possibilitando medir a evolução do uso desse tipo de modal no município.

Desde então, por exemplo, foi possível aferir que 80% dos ciclistas migraram da canaleta dos ônibus expressos para as vias adjacentes da avenida, identificadas como Via Calma. Além disso, também se verificou um aumento no número de mulheres utilizando a magrela — subiu de 9,5% para quase 12% dos deslocamentos na via, acima da média nacional, em cerca de 8%. A contagem é feita na Avenida Sete de Setembro, onde existe a área calma com limite de 30 km/h, para a circulação compartilhada, na Avenida República Argentina e na Avenida Affonso Camargo.