Mapa do crime

Cinco bairros concentram quase metade das mortes violentas em Curitiba em 2021

Policiamento em Curitiba: mortes violentas em queda
Policiamento em Curitiba: mortes violentas em queda (Foto: Franklin de Freitas)

Cinco bairros de Curitiba concentraram quase metade das mortes violentas cometidas nos nove primeiros meses deste ano, segundo balanço divulgado ontem pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp). Os bairros Alto Boqueirão, Cajuru, Cidade Industrial de Curitiba (CIC), Parolin e Tatuquara tiveram 78 mortes violentas, o que corresponde a 47,2% do total de 165 casos registrados entre janeiro e setembro deste ano.

O Relatório Estatístico Criminal da Sesp leva em conta os casos de homicídio doloso, feminicídio, latrocínio e lesão corporal que resultam em morte, crimes que são contabilizados como mortes violentas intencionais (MVI).

Em todo o Paraná, houve uma redução de 12,8% no número de MVI entre janeiro e setembro deste ano, em relação ao mesmo período de 2020. Foram 1.651 ocorrências no ano passado e 1.466 deste ano. Em Curitiba, a queda foi de 13,7% no mesmo período, de 197 registros para 170.

Em relação aos nove primeiros meses de 2020, quatro bairros de Curitiba permaneceram entre os cinco mais violentos da cidade: CIC, Tatuquara, Cajuru e Parolin. No Sítio Cercado, que teve 14 MVI no período em 2020, foi registrada uma queda de 50% (sete ocorrências neste ano). Em compensação, o número de casos no Alto Boqueirão passou de 9 para 13 no mesmo período, o que colocou o bairro entre os mais violentos.

A CIC teve o maior número de MVI entre janeiro e setembro deste ano: 20 (no mesmo período do ano passado, foram 19). Em seguida aparecem o Tatuquara, com 19 (foram 16 nos três primeiros semestres de 2020), Cajuru (13 neste ano e 19 no ano passado), Alto Boqueirão e Parolin (13 neste ano contra 14 em 2020).

As maiores quedas foram registradas nos bairros Umbará (-86%), Centro (-71%), Campo Santana (-67%), Santa Felicidade (-67%) e Atuba (-60%). Entre os 75 bairros da capital paranaense, 35 não tiveram registro de nenhuma morte violenta intencional nos nove primeiros meses deste ano. No ano passado, foram 34 no mesmo período.

No geral, segundo a Sesp, o número de homicídios dolosos caiu 13,73% (de 182 para 157) na cidade; o feminicídio caiu 40% (de 7 para 5) e o roubo seguido de morte teve redução de 33% (de 4 casos para 3). O número de lesões corporais seguidas de morte se manteve estável, com quatro ocorrências no período analisado em cada ano.

Paraná tem dados em queda, segundo estatística da Sesp

Os quatro crimes analisados apresentaram redução no Paraná no comparativo dos períodos de 2020 e 2021, de acordo com a Sesp. No caso de homicídios dolosos, a queda foi de 11,59% (de 1.511 para 1.354). Houve redução de 29,03% nos casos de lesão corporal seguida de morte (de 40 para 31), de 10,09% em feminicídio (de 55 para 49) e de 28,88% em roubo seguido de morte (latrocínio), de 45 para 32.

As cidades com os maiores números de mortes violentas, depois de Curitiba, são Paranaguá (60), Ponta Grossa (50), Colombo (47), Almirante Tamandaré (46) e São José dos Pinhais (45). Em 174 municípios (43%) não houve ocorrências deste tipo de crime neste ano. Em 2020, no mesmo período, foram 154 cidades sem MVI.

O balanço aponta ainda que o mês de junho teve o menor número de mortes violentas intencionais, com 130 ocorrências no estado, seguido de agosto (135) e maio (159). A Sesp atribuiu a queda, que vem sendo registrada desde março deste ano, ao reforço de operações, à intensificação de policiamento preventivo e a ações de inteligência.

Mapa da violência

Número de mortes registradas nos bairros mais violentos de Curitiba entre janeiro e setembro deste ano

CIC 20
Tatuquara 19
Alto Boqueirão 13
Cajuru 13
Parolin 13
Sítio Cercado 7
Uberaba 7
Ganchinho 6
Pinheirinho 6
Novo Mundo 5
Prado Velho 5