Publicidade
Estrago histórico

Cinco dias após o ciclone, 39,5 mil casas ainda estão sem energia elétrica no PR; moradores protestam

(Foto: Franklin de Freitas)

Centenas de profissionais da Copel estão entrando no quinto dia de trabalho ininterrupto para recuperar a rede de energia danificada pelo temporal da última terça-feira (30). Os serviços agora são em locais onde a destruição foi grande e requer reconstrução e em locais de difícil acesso, como áreas de mata. Em Curitiba, todos as unidades consumidoras que restavam sem energia em função do temporal já foram religadas neste sábado (4). Em toda região metropolitana de Curitiba, a Copel ainda tem 939 serviços para realizar em função do temporal. Somente a cidade de São José dos Pinhais, que foi uma das mais afetadas, está com 39 equipes em campo neste sábado e 177 serviços em aberto. São José dos Pinhais possui 1 mil imóveis desligados ainda (0,8% do total), todos em regiões onde os estragos demandam grandes caminhões e equipes de reconstrução para recompor a rede. No Paraná, há ainda 39,5 mil unidades consumidoras sem energia.

A falta de energia motivou na tarde deste sábado (4) um protesto de moradores de São José dos Pinhais. Sem energia desde a terça, eles interditaram a BR-277 na altura do km 77 da rodovia das 16 às 17 horas, o que gerou uma fila de 2 quilômetros. 

Segundo informações da assessoria da Copel, a região Leste do Estado (RMC e Litoral) recebeu mais 60 equipes de apoio neste sábado, com caminhões de grande porte, que vieram de locais onde a quantidade de serviços em função do temporal já diminui. A região Leste permanece com 26 mil imóveis desligados. Das 18h até as21 horas  já foram religados 10 mil consumidores na região leste

Litoral

O vendaval atingiu fortemente as cidades do litoral. Muitas redes de energia foram destruídas com a queda de árvores, algumas em locais de difícil acesso. Em Paranaguá, 1,9 mil unidades consumidoras permanecem sem energia elétrica.

Diversas equipes de manutenção foram deslocadas para o litoral neste sábado para ajudar nos consertos. Ainda este sábado a Copel deve religar parte dos consumidores, mas os trabalhos nas redes que ficam em região de mata fechada vai continuar ao longo de todo final de semana.

Impactos
Os números do ciclone entraram pra história da Copel: pico de mais de 11,5 mil chamados de serviço em diferentes localidades do Paraná, 2,7 mil eletricistas próprios e terceirizados atendendo nas ruas de maneira simultânea, em mais de mil equipes que enfrentaram uma média diária de 5 mil serviços - em junho esse número fechou em 1,5 mil/dia.

Profissionais do interior foram deslocados pra Curitiba, Região Metropolitana e Litoral, para dar reforço nas áreas mais afetadas. Desde o início do incidente, a Copel trocou 453 postes e ainda restam 300 pendentes de troca (a média diária de troca de postes é 20).

277 pessoas ainda desalojadas

O último boletim da Defesa Civil, das 18 horas de sexta (3), mostra que o ciclone extratropical de terça afetou 5.353 de 83 cidades do Paraná e 277 pessoas ainda permanecem desalojadas.



Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES