Publicidade
Na linha de frente

Cinco profissionais de saúde já morreram em decorrência da Covid-19 na Grande Curitiba

No combate à Covid-19, profissionais acabam mais expostos
No combate à Covid-19, profissionais acabam mais expostos (Foto: José Fernando Ogura/AEN)

A morte do técnico de enfermagem Adelmo Azevedo da Cruz, de 52 anos, foi a quinta de profissional de saúde pelo novo coronavírus na Grande Curitiba. Ele estava internado com Covid-19 e não possuía comorbidades. Adelmo estava internado no Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul, desde o dia 17 de junho. Ele cursava a graduação de enfermagem e atuava como técnico no no mesmo hospital
Na última sexta, Jair Dionizio dos Santos, 52 anos, que era técnico de enfermagem no Hospital de Clinicas e no Hospital Vita Batel, morreu após ficar internado por 15 dias por causa do novo coronavírus. Ele também não tinha comorbidades.
A primeira morte de uma profissional de saúde em decorrência do coronavírus aconteceu em 26 de abril. A técnica de enfermagem Valdirene Aparecida Ferreira dos Santos, de 39 anos, morreu depois de três semanas internada na UTI do Ônix. O médico Caio Martins Guedes, de 33 anos, morreu por complicações causadas pela Covid-19 em 22 de junho. Ele era residente do setor de ortopedia do Hospital Angelina Caron, na Região Metropolitana de Curitiba e trabalhava como plantonista em uma instituição em Bocaiúva do Sul. Ele ficou internado por 12 dias, mas não resistiu.
Em 3 de maio, o médico Milton Luiz Ciappina, de 72 anos, morreu em Curitiba, também em decorrência da Covid-19. Ele ficou uma semana internado no Hospital Sugisawa, na capital paranaense. Ele era médico concursado do município de Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba. Ele tinha comorbidades.
Segundo as associações ligadas à enfermagem no País, até meados de junho eram mais de 200 os óbitos registrados de enfermeiros e enfermeiras em todo o Brasil qaue contraíram a doença durante o trabalho.

Expansão
No Paraná, 93% dos municípios contam com pelo menos um caso do novo coronavírus
Segundo o boletim da Covid-19 divulgada ontem, 373 cidades paranaenses têm ao menos um caso confirmado da doença. Em 164 municípios há óbitos pela doença. No total o Estado tem 399 municípios. Isso representa que 93% das cidades paranaenses já contam com casos, e em 41% há registros de mortes.
Ontem, o boletim estadual confirmou mais 1.530 diagnósticos positivos e 31 mortes pela Covid-19 no Paraná. Com essa atualização, sobe para 33.939 o número de casos confirmados e para 837 o total de óbitos no Estado. Os 31 pacientes que foram a óbito, e relatados no informe, estavam internados. São doze mulheres e 19 homens, com idades que variam de 47 a 95 anos. Os óbitos ocorreram entre os dias 13 de maio a 06 de julho. O monitoramento da Secretaria da Saúde registra 369 casos de residentes de fora, sendo que 14 pessoas foram a óbito.
Curitiba — Curitiba registrou ontem 11 novos óbitos de moradores da cidade infectados pelo novo coronavírus. Com os novos números divulgados pelo boletim da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), a capital paranaense chega a 206 mortes pela Covid-19.
Os dados divulgados pela SMS mostram ainda 256 novos casos confirmados da covid-19. Até agora 7.786 moradores da cidade testaram positivo para covid-19 - 4.145 estão liberados do isolamento. Há ainda 3.435 casos ativos na cidade. A taxa de ocupação das 261 UTIs do SUS exclusivas para Covid-19 era de 87%.

Brasil registra mais 1.254 mortes e 45.305 casos
O Brasil chegou a 66.741 mil mortes e 1.668.589 milhão de casos em decorrência da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Foram 1.254 novas mortes e 45.305 novas pessoas infectadas registradas entre a segunda-feira e ontems, conforme atualização do Ministério da Saúde . Até o momento 976.977 pessoas já se recuperaram e há 624.871 pessoas em acompanhamento.
A taxa de letalidade (número de mortes pelo total de casos) ficou em 4%. A mortalidade (quantidade de óbitos por 100 mil habitantes) atingiu 31,8. A incidência dos casos de covid-19 por 100 mil habitantes é de 794. O Brasil é o 2º do mundo em mortes e casos, atrás apenas dos Estados Unidos.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES