Intercâmbio

Colômbia quer se tornar destino mais procurado para aprendizado de espanhol

A fama da Colômbia como país onde se fala o espanhol mais puro da América Latina, sem nuances de sotaque, com pronúncia correta de todos os pronomes mesmo na fala informal, está se convertendo em uma campanha internacional para transformar o país no destino mais procurado na América Latina para aprendizado de espanhol.

A iniciativa ganha reforço nesta semana, quando a Colômbia apresentará no Brasil o Programa ELE (Espanhol como Língua Estrangeira), um amplo projeto que congrega universidades e Ministérios da Cultura e da Educação da Colômbia para consolidar uma oferta de educação de alta qualidade.

O país terá espaço em um evento em Curitiba, de 28 a 30 de novembro: o IV Seminário Internacional e da V Assembléia Geral do Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras (GCUB), que reúne 300 gestores de universidades do Brasil, da Europa e das Américas. O GCUB é uma instituição de vanguarda no debate sobre a internacionalização da educação superior, promovendo intercâmbios e convênios internacionais entre 52 universidades brasileiras e instituições em vários continentes.

À frente do programa ELE, está o Instituto Caro y Cuervo, um centro de estudos vinculado ao Ministério da Cultura da Colômbia, que preserva e documenta a linguagem, a literatura e a cultura hispanoamericana, além de colaborar para a criação de políticas públicas e agrupar universidades colombianas que ofertam cursos de línguas.

A procura pelo idioma - Em 2010, as 77 universidades associadas ao Sistema Internacional de Certificação do Espanhol como Língua Estrangeira (SICELE) em países de língua espanhola receberam quase 50 mil alunos interessados em aprender o idioma. A maioria (82%) frequentou instituições na Espanha, que também é o país que oferece mais cursos de ELE (34).

Naquele mesmo ano, a Colômbia recebeu 1.270 alunos em 16 instituições, à frente da Argentina e do Chile mas ainda atrás do México e da Costa Rica, países também com forte atração turística. Em termos comparativos, a Colômbia teve 2,1% de participação entre os países de língua espanhola e 14,8% no universo latinoamericano. Já em 2012, foram 3.346 estudantes.

Ministérios estão à frente da iniciativa – A principal missão do grupo, liderado pelos Ministérios da Educação e das Relações Exteriores da Colômbia e pelo Instituto Caro y Cuervo, será apresentar, durante o Simpósio Cooperação Universitária Brasil – Colômbia, o Programa Espanhol como Língua Estrangeira (ELE Colômbia), destinado a fortalecer as universidades colombianas como centros de excelência no ensino do idioma espanhol, atraindo alunos de vários países. As apresentações estarão a cargo de Natalia Jaramillo Manjarrés, chefe do Escritório de Cooperação e Assuntos Internacionais do Ministério Nacional da Educação da Colômbia; Norman Valencia, subdiretor do Instituto Caro y Cuervo, do Ministério da Cultura; e Luis Armando Soto Boutin, diretor de Assuntos Culturais do Ministério de Relações Exteriores da Colômbia.

Além disso, o evento também será oportunidade para que representantes de 15 universidades colombianas apresentem seus programas acadêmicos, convênios e alternativas para promover e facilitar a aprendizagem do espanhol como língua estrangeira.

GCUB — O encontro do Grupo de Coimbra acontece no auditório do Setor de Ciências Sociais Aplicadas, no campus Jardim Botânico da Universidade Federal do Paraná (UFPR).