Brasileirão

Com 3.300 torcedores na Arena, Athletico falha na defesa e perde para o Bahia

(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)

O Athletico perdeu por 2 a 0 para o Bahia nesse sábado (dia 9) à noite, na Arena da Baixada, pela 25ª rodada do Brasileirão. Com o resultado, o time paranaense ficou em 7º lugar, com 33 pontos. A equipe baiana está em 16º lugar, com 26 pontos. Clique aqui para ver a classificação no site Srgoool.

Em relação ao desempenho, o Athletico jogou pouco nos primeiros 50 minutos e cometeu duas falhas graves na defesa. O Bahia aproveitou e fez 2 a 0 nesse período. Nos 40 minutos finais, o time paranaense foi dono do jogo, sufocou o adversário, criou quatro boas jogadas ofensivas, desperdiçou uma chance clara e viu Nikão acertar o travessão aos 45 do 2º tempo.

Clique aqui para ver os gols do jogo: primeiro gol e segundo gol.

Após o apito final, parte da torcida vaiou. E uma parte aplaudiu.

Clique aqui para ver as ATUAÇÕES — notas para os jogadores do Athletico.

VOLTA DA TORCIDA
O jogo marcou o retorno da torcida à Arena da Baixada após 19 meses. Com 50% da capacidade liberada pela Prefeitura de Curitiba, o local poderia receber até 21.186 torcedores. O clube tem cerca de 13 mil sócios em dia. Para quem não é sócio, os ingressos custavam R$ 150. Também era preciso apresentar exame de Covid-19 feito no máximo 48 horas antes do jogo. O estádio recebeu 3.340 pagantes (sócios e torcedores que compraram ingresso) na partida.

NIKÃO 300
Nikão, 29 anos, completou 300 jogos pelo Athletico na partida e recebeu homenagens. O jogador disputou marcou 46 gols e deu 45 assistências pelo Furacão. Conquistou cinco títulos pelo clube: Sul-Americana 2018, Copa do Brasil 2019, J. League/Conmebol 2019 e dois Paranaense (2016 e 2020).

FASES
Nos últimos 8 jogos, o Athletico somou 6 vitórias e 2 derrotas – contando todas as competições. Essa foi a 3ª derrota do time na Arena no Brasileirão 2021 - antes perdeu para Corinthians e São Paulo. Já o Bahia tem apenas 2 vitórias nos últimos 10 jogos. O clube nordestino demitiu Diego Dabove e contratou Guto Ferreira, que fez sua estreia nesse sábado.

ESCALAÇÕES
No seu segundo jogo no comando da equipe, o técnico Alberto Valentim só tinha uma nova baixa: o lateral-esquerdo Abner, lesionado. Ele manteve o sistema adotado nas últimas partidas, com o 5-2-3 para defender e o 3-4-3 para atacar nos últimos seis jogos. O setor ofensivo tinha Nikão (direita), Terans (esquerda) e Bissoli (centro). Já o Bahia não tinha o atacante Marcelo Cirino (29 anos, ex-Athletico), além de Rodallega, Lucas Araújo, Conti e Rossi. O time baiano usou o 4-2-3-1.

PRIMEIRO TEMPO
O primeiro tempo foi equilibrado e com apenas um chance clara. O Bahia começou melhor e criou duas boas jogadas com Juninho Capixada pela esquerda, levando a melhor sobre Marcinho. O Athletico demorou a entrar no jogo e também construiu duas boas jogadas – um chute de Bissoli da meia-lua e uma falta cobrada por Terans. A única chance clara ocorreu aos 43. E foi convertida. Patrick lançou, Gilbertou ajeitou de cabeça e Raí saiu na cara do gol para chutar e fazer 1 a 0.

SEGUNDO TEMPO
O segundo tempo começou com gol. Já aos 4, Mugni cobrou falta e colocou na área. Marcinho não acompanhou Gilberto, que entrou livre, na 2ª trave, e finalizou de cabeça: 2 a 0. Aos 14 minutos, as primeiras substituições no Athletico, com as entradas do ponta Pedro Rocha e do lateral Pedrinho (ex-Vitória), que fez sua estreia pelo clube e jogou improvisado como extremo pela esquerda. O time mandante mudou o esquema tático, avançou e tomou conta do jogo. Aos 21, mais duas trocas no Furacão, com as entradas do centroavante Renato Kayzer e do volante Christian. Aos 24, Pedrinho perdeu gol feito, na pequena área, ao chutar em cima do goleiro, após receber lançamento perfeito de Nikão. O time paranaense seguiu melhor no jogo e levou perigo aos 30, em chute de Kayzer. Aos 37, Khellven entrou no jogo, no lugar de Marcinho. Aos 45, Nikão mandou uma bomba no travessão, deixando claro que não era dia do Athletico.

ESTATÍSTICAS
No total dos 90 minutos, o Athletico teve 16 finalizações (3 certas), 59% de posse de bola, 85% de eficiência nos passes e 14 faltas cometidas. Já o Bahia somou 8 finalizações (4 certas), 41% de posse de bola, 74% de eficiência nos passes e 9 faltas cometidas. Os dados são do site Sofascore.

ATHLETICO 0x2 BAHIA
Athletico: Santos; Marcinho (Khellven), Pedro Henrique, Thiago Heleno, Zé Ivaldo (Pedrinho) e Nicolas; Richard (Christian) e Erick; Nikão, Terans (Pedro Rocha) e Bissoli (Renato Kayzer). Técnico: Alberto Valentim
Bahia: Danilo Fernandes; Nino Paraíba, Gustavo Henrique, Luiz Otávio e Matheus Bahia (Isnaldo); Patrick de Paula (Raniele) e Mugni (Rodriguinho); Raí (Ronaldo), Daniel (Edson) e Juninho Capixada; Gilberto. Técnico: Guto Ferreira
Gols: Raí (43-1º) e Gilberto (4-2º)
Cartões amarelos: Nikão (A).
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Local: Arena da Baixada

PRINCIPAIS LANCES
Primeiro tempo
10 - Passe em profundidade de Juninho Capixaba. Gilberto sai nas costas da defesa e invade a área, mas é desarmado por Pedro Henrique na última hora.
19 - Juninho Capixaba tabela com Danielzinho, recebe na área e chuta. A zaga tira para escanteio.
24 - Nikão rouba. Erick avança e rola para Bissoli, na meia-lua. Ele chuta perto, ao lado do gol.
41 - Falta de média distância. Terans bate no alto. O goleiro rebate.
43 - Gol do Bahia. Patrick lança do círculo central. Gilberto ajeita de cabeça e coloca Raí na cara do gol. Ele chuta e Santos aceita.

Segundo tempo
4 - Gol do Bahia. Falta na direita. Mugni cruza. Marcinho não acomponha Gilberto, que entra livre na 2ª trave e cabeceia no canto.
9 - Nikão cruza com perigo e promove confusão na pequena área. O goleiro tira com um chutão, no desespero.
13 - Terans chuta de fora da área. O goleiro espalma.
24 – Nikão lança. Pedrinho recebe na cara do gol, na pequena área, mas chuta em cima do goleiro.
30 - Renato Kayzer recebe na área, gira e chuta forte. O goleiro espalma.
37 – Boa jogada pela esquerda. Pedrinho cruza rasteiro. Livre na área, Erick chuta fraco e o goleiro segura.
38 – Nicolas cruza. Nikão cabeceia perto, sobre o gol.
45 – Nikão pega rebote na entrada da área e manda a bola no travessão.