Brasileirão

Com arbitragem polêmica, Athletico empata com o São Paulo no Morumbi

Pedro Rocha, do Athletico, enfrenta Reinaldo, do São Paulo
Pedro Rocha, do Athletico, enfrenta Reinaldo, do São Paulo (Foto: Divulgação/Athletico.com.br/José Tramontin)

O Athletico Paranaense empatou em 0 a 0 com o São Paulo, nessa quarta-feira (dia 24) à noite, no Morumbi, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o time paranaense ficou com 42 pontos, na 13ª colocação. A equipe paulista está em 14º, também com 42 pontos. Clique aqui para ver a classificação no site Srgoool.

Agora, o Furacão volta a jogar no domingo, contra o Corinthians, em São Paulo. Depois, terá mais três jogos pelo competição. As finais da Copa do Brasil só serão disputadas em 12 e 15 de dezembro, após o término do Brasileirão.

Clique aqui para ver as ATUAÇÕES — notas para os jogadores do Athletico.

ARBITRAGEM POLÊMICA
Aos 13 minutos do 1º tempo, o centroavante Renato Kayzer, do Athletico, sofreu falta violenta de Reinaldo – um pisão no tornozelo. O árbitro mostrou amarelo. O time paranaense pediu vermelho. O VAR não interferiu. Na Globo, o ex-árbitro Sálvio Spinola concordou com a arbitragem. “O Reinaldo chegou atrasado, mas tinha a intenção de disputar a bola. Olhando na câmera lenta, realmente parece que o Reinaldo vai agredir, mas ele quer disputar a bola e chegou atrasado. Para mim, cartão amarelo”, disse Sálvio. Caio Ribeiro e Ricardinho, outros dois comentaristas da Globo, afirmaram que era lance para expulsão. Aos 23, Kayzer acabou substituído, com dores no tornozelo. Pedro Rocha entrou no jogo.

Clique aqui para ver o lance no Twitter do VAR Check Brazil, que também afirmou que a arbitragem errou.

No intervalo, Kayzer reclamou. “Quebrou a caneleira, quase quebrou a minha perna. Meu tornozelo está imenso. E se eu falar do cara levar gancho. É ficar quieto e aguentar”, disse o jogador, em entrevista para a Globo.

ALBERTO
Desde que assumiu o comando do Athletico, o técnico Alberto Valentim somou em todas as competições 5 vitórias, 4 empates e 6 derrotas.

NÚMEROS
O time paranaense tem a 3ª defesa mais vazada do Brasileirão (43 gols contra em 34 jogos) e o 7º ataque mais positivo (39 gols). Já o São Paulo é o 2º com menos gols marcados — 26 em 34 partidas — e o 6º com menos gols sofridos (33).

ESCALAÇÕES
O técnico do Athletico, Alberto Valentim, usou força máxima, repetindo a mesma escalação da final da Copa Sul-Americana. O treinador manteve o esquema tático 5-2-3 para defender e o 3-4-3 para atacar, com Nikão (direita), Terans (esquerda) e Renato Kayzer (centro).

O São Paulo não tinha os volantes William e Luan e os atacantes Galeano e Luciano, todos em recuperação. Outra baixa era o atacante Éder, suspenso.

PRIMEIRO TEMPO
O São Paulo começou 'pilhado', jogando com a intensidade de uma final de Copa do Mundo. O Athletico não teve a mesma pegada, mas também não chegou a ser um time apático. O time paranaense acabou recuando e sofrendo pressão. Nesse período, a dupla Rigoni/Calleri levou perigo em cinco lances, mas o time paulista não chegou a criar chances claras. No total do primeiro tempo, foram 11 finalizações do São Paulo contra nenhuma do Athletico.

SEGUNDO TEMPO
No intervalo, Alberto tirou Terans e colocou o volante Christian improvisado como meia-ponta, na esquerda. Ou seja, o esquema tático seguiu o mesmo. O São Paulo não conseguiu manter a intensidade de antes, mas seguiu com o controle do meio-campo. O Athletico, porém, passou a encontrar espaços para contra-atacar e conseguiu sua primeira finalização na partida aos 10 minutos, em arremate de fora da área de Christian. Aos 14, saiu Pedro Henrique e entrou Zé Ivaldo. O jogo ficou truncado, quase sem jogadas ofensivas. Aos 27, Nicolas entrou na lateral-esquerda. Outra substituição foi a entrada do centroavante Bissoli para a saída do volante Cittadini. Com isso, Christian recuou e virou volante. E Pedro Rocha passou a jogar na meia-ponta esquerda.

ESTATÍSTICAS
No total dos 90 minutos, o Athletico teve 3 finalizações (nenhuma certa), 29% de posse de bola, 65% de eficiência nos passes e 15 faltas cometidas. Já o São Paulo somou 17 finalizações (2 certas), 71% de posse de bola, 84% de eficiência nos passes e 14 faltas cometidas. Os dados são do site Sofascore.

SÃO PAULO 0x0 ATHLETICO
São Paulo: Tiago Volpi; Igor Vinicius (Orejuela), Arboleda, Miranda e Reinaldo (Léo); Rodrigo Nestor (Vitor Bueno), Igor Gomes, Gabriel Sara e Marquinhos (Benítez); Rigoni e Calleri (Pablo). Técnico: Rogério Ceni
Athletico: Santos; Marcinho, Pedro Henrique (Zé Ivaldo), Thiago Heleno, Nico Hernández e Abner (Nicolas); Erick e Cittadini (Bissoli); Nikão, Renato Kayzer (Pedro Rocha) e Terans (Christian). Técnico: Alberto Valentim
Cartões amarelos: Reinaldo, Calleri, Léo (SP). Santos, Marcinho (A).
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Público: 43.391
Local: Morumbi

PRINCIPAIS LANCES
Primeiro tempo
1 – Calleri cruza rasteiro. Santos corta antes que Rigoni finalize.
7 – Calleri enfia. Rigoni se estica todo e consegue finalizar, mas Santos chega ao mesmo tempo e defende.
10 – Depois de escanteio, Rigoni pega rebote fora da área e chuta perto, ao lado.
11 – Depois de cobrança de lateral, a bola chega a Rigoni, que gira e chuta de fora da área. Santos defende no ângulo.

Segundo tempo
1 – Rigoni rouba de Cittadini, invade a área, dribla Pedro Henrique e chuta. Marcinho salva.
10 – Primeira finalização do Athletico no jogo. Nikão rola para Christian, que chuta de fora da área. A bola vai sobre o gol.
15 – Zé Ivaldo recua a bola 'na fogueira'. Santos sai da área e despacha. A bola bate em Pablo e sai pela linha de fundo.
28 – Gabriel Sara recebe na área, gira e rola para Igor Gomes, que chuta perto, ao lado do gol.
29 – Rigoni dá toque de calcanhar. Gabriel Sara recebe na área e chuta ao lado.
32 – Nikão cruza da direita. Pedro Rocha se estica todo na segunda trave, mas não alcança.
38 – Orejuela cruza na medida. Pablo cabeceia sobre o gol.