De vento em popa

Com calor em alta, venda de ventiladores cresce 30% em Curitiba

Lojas em rede de Curitiba: nas vitrines, saem os produtos do Natal e do Ano Novo e entram os ventiladores
Lojas em rede de Curitiba: nas vitrines, saem os produtos do Natal e do Ano Novo e entram os ventiladores (Foto: Franklin de Freitas)

Há cerca de duas semanas teve início o verão, estação mais quente do ano, e a chegada dos dias de calor já esquenta também o comércio em Curitiba, impulsionando a venda de ventiladores e ares-condicionado.
De acordo com Rodrigo Nunes da Silva, gerente da loja da Casas Bahia no Shopping Palladium, desde o começo do ano a procura por ventilador aumentou, em média, 30%, enquanto a procura por ar-condicionado teve alta de 15%, aproximadamente.
“Por mais que em Curitiba a gente tenha esse tempo meio louco, que vai de frio a calor dependendo do dia, a procura do começo do ano para cá aumentou. Mas o que aumentou mesmo, o que impactou, foi a linha de ventiladores. Já zerou praticamente o estoque em lojas e agora estamos repondo”, conta o gerente.
Apesar do estoque estar quase esgotado, a possibilidade de desabastecimento está praticamente descartada, ao menos por enquanto. “Sem risco (de desabastecimento). Estamos bem abastecidos nos depósitos e até temos uma variedade maior de modelos em relação ao ano passado”, explica.
Ainda segundo Rodrigo, basta um dia de calor para a procura por ventiladores, principalmente, já começar a aumentar. “Se faz um dia de calor já tem procura. Passou de 20, 24 graus, vai ter procura e janeiro é quando costuma ter a maior demanda”, diz o gerente, explicando que os clientes têm buscado ventiladores com tamanho de 40 centímetros e na faixa de R$ 99 a R$ 120.
Custo
O consumidor deve ficar atento aos aparelhos e o custo que eles representam na conta de energia elétrica. O ar-condicionado e a geladeira estão entre os principais responsáveis por contas altas no verão. Só a geladeira tem um consumo mensal dos equipamentos avaliados pelo Inmetro no Programa Brasileiro de Etiquetagem chega a 85 kWh (quilowatt-hora), o que representa 51% do consumo médio residencial paranaense.
Para evitar surpresas na conta de luz, a atenção ao consumo de energia deve começar na hora da compra e se estender por todo o tempo de uso dos aparelhos. Os aparelhos no mercado vêm com selos mostrando o seu consumo. Com isso, é fácil optar por aqueles de melhor desempenho e custo.
Outra dica importante é regular bem os aparelhos conforme o ambiente. Evite deixa o ar-condicionado ligado em ambientes sem a presença de ninguém. A geladeira deve ser aberta o mínimo possível.
Outros equipamentos que ajudam a aumentar a cotnta de luz são o chuveiro elétrico, o ferro de passar roupa e arté mesmo computadores. Todos devem ser usados com inteligência. Chuveiros devem ser regulados para o clima quente e acumular o máximo de roupa para passar de uma única vez.