Medidas anticovid

Com indicadores positivos, Curitiba prorroga bandeira amarela por mais uma semana

Bandeira amarela vigora desde o dia 8 de julho. Antes foram 133 dias em bandeira vermelha ou laranja
Bandeira amarela vigora desde o dia 8 de julho. Antes foram 133 dias em bandeira vermelha ou laranja (Foto: Franklin de Freitas)

Curitiba prorrogou, ontem, a vigência da bandeira amarela, de alerta contra a Covid-19, por mais uma semana. A análise do Comitê de Técnica e Ética Médica revelou que a bandeira em Curitiba permaneceu em 1,7, mesmo patamar de 15 dias atrás. O novo decreto 1.180/2021, que prorroga por mais uma semana as determinações do decreto 1.130/2021, foi publicado ontem e tem validade até 28 de julho.

O número de casos ativos da Covid-19 na cidade estava ontem em 7.140, uma discreta queda de 2,3% em relação há 14 dias. Isso indica a quantidade de pessoas com capacidade de transmissão do vírus.

A média móvel de novos casos nos últimos sete dias está em 656, uma diminuição de 13,7% em relação há 14 dias. Já a média móvel de óbitos dos últimos sete dias é de 15 casos, uma diminuição de 26,4% quando comparado com 14 dias atrás.

A taxa de internamento em leitos clínicos estava em 61%. Já a taxa de ocupação de leitos de UTI estava em 68%.

Em alerta

Apesar da manutenção da bandeira amarela, a Secretaria Municipal da Saúde alerta sobre a necessidade de se manter os cuidados, mantendo o distanciamento social, uso de máscara e álcool em gel.

“Esse cuidado é ainda mais importante neste momento, pois temos a confirmação da entrada da variante Delta no município. Então, é necessário redobrar a atenção”, afirma a superintendente executiva, Beatriz Battistella Nadas.

Beatriz lembra que a bandeira amarela não significa a retomada da normalidade. “O contexto epidemiológico nos permite manter a flexibilização do funcionamento da economia, mas exige que todos mantenham cautela na adoção das medidas preventivas”, diz.

Atividades que ainda estão suspensas

  • Estabelecimentos destinados ao entretenimento, tais como casas de shows, casas noturnas e atividades correlatas;
  • Eventos esportivos com público externo;
  • Estabelecimentos destinados a mostras comerciais, feirões e feiras de varejo;
  • Tabacarias;
  • Reuniões com mais de 50 (cinquenta) pessoas, incluindo comemorações, confraternizações e encontros familiares, em espaços de uso público, localizados em bens públicos ou privados;
  • Circulação de pessoas, no período das 23 às 5 horas, em espaços e vias públicas, salvo em razão de atividades ou serviços essenciais e casos de urgência;
  • Consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas.

Depois de 282 dias, ocupação de UTIs fica abaixo de 70% na Capital

Depois de 282 dias, a Secretaria Municipal da Saúde voltou a registrar uma taxa de ocupação dos leitos de UTI SUS para Covid-19 menor que 70%. Ontem, a ocupação baixou para 68%, o que não acontecia desde 12 de outubro de 2020, quando a taxa foi de 63%.

O boletim divulgado ontem também mostra que foram registrados 510 novos casos de Covid-19 e 16 óbitos de moradores da cidade infectados pelo novo coronavírus. São, no total, 6.529 mortes e 255.417 casos desde o início da pandemia.

Paraná — A Secretaria de Estado da Saúde divulgou ontem mais 3.008 casos confirmados e 84 mortes pela Covid-19 no Paraná. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas. Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 1.345.871 casos confirmados e 33.804 óbitos.

O informe relata que 1.468 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estavamnternados.
Brasil — O Ministério da Saúde informou que foram registrados 27.592 novos casos e mais 1.424 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas. No total, segundo a pasta, são 19.419.437 pessoas infectadas e 544.180 óbitos desde o início da pandemia.