Capital Verde

Curitiba registra 12 chamadas emergenciais de quedas de árvores por dia

Árvore cai sobre veículo e ônibus no Rebouças: quatro pessoas ficaram feridas
Árvore cai sobre veículo e ônibus no Rebouças: quatro pessoas ficaram feridas (Foto: Franklin de Freitas)

Com mais de 320 mil árvores em vias públicas, Curitiba é hoje uma das cidades mais arborizadas do Brasil, com mais ou menos uma árvore para cada seis habitantes e espécies variadas, que compõem a paisagem da cidade com o verde e as cores. Alguns momentos, entretanto, isso também causa alguns transtornos, em es pecial no verão, por conta da quantidade de chuva e dos ventos fortes, tipicos de tempestades.

Na tarde de ontem, por exemplo, a forte chuva que atingiu a cidade provocou problemas. No bairro Rebouças, quatro pessoas ficaram feridas após uma árvore cair e atingir um ônibus Ligeirinho e um carro no cruzamento das avenidas Iguaçu e Marechal Floriano Peixoto.

“Eu vinha devagar, só vi o vulto da árvore caindo. Só pensei em segurar o ônibus. Foi um grande susto”, conta Sebastião Andrade, motorista do ônibus atingido. Além dessa ocorrência, pelo menos outros quatro pontos na cidade, nos bairros CIC, Pinheirinho e Bairro Alto, também registraram ocorrências de queda de árvore ou galhos.

De acordo com estimativa da Prefeitura de Curitiba, no verão há um aumento de aproximadamente 40% nos chamados de emergência. Neste ano, apenas no mês de janeiro, a Central 156 do município registrou 381 demandas relacionadas à árvores em vias públicas.

Desses atendimentos todos, 221 (58% do total) eram solicitações de atendimento emergencial - quando uma árvore ou galhos caem em via pública ou quando há risco iminente de queda. Os dados foram compilados a partir da Base de Dados da Central 156, disponível ao público no Portal de Dados Abertos de Curitiba.

Entre os bairros com mais atendimentos emergenciais, o Boqueirão se destaca com 21 registros. Na sequência aparecem o Sítio Cercado (19), o Bacacheri (18), o Água Verde e o São Francisco (14 cada). Além disso, dos 75 bairros da cidade, 60 (80% do total) tiveram pelo menos uma solicitação de atendimento emergencial.

O que fazer em caso de queda na cidade

Para pedir a retirada de galhos ou árvores que tenham caído por conta de temporais, o cidadão deve acionar a Central 156, por telefone, site ou aplicativo (disponível na Google Play e na Apple Store). O atendimento acontece por odem de chamada e também de acordo com a gravidade da situação relatada - a prioridade é sempre os casos em que há obstrução de ruas.

Já quando a queda acontecer dentro de imóveis e envolver risco às pessoas, é o Corpo de Bombeiros que deve ser acionado, por meio do telefone 193. Em vias públicas, quando houver comprometimento aos cabos de energia, o mais recomendado é acionar a Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel), já que o serviço de retirada, nestes casos, só pode ser feito com o desligamento da energia, para evitar acidentes.

Arborização na cidade é rica e variada

O cenário da arborização em Curitiba não se destaca só pela quantidade, mas também pela variedade de espécie, o que permite aos curitibanos viver com um pouco de tudo: desde a nativa Araucária Angustifolia, símbolo do Paraná e de sua capital dos pinhões e pinheirais, às corticeiras de quase 80 anos que resistem nas bandas da Avenida Iguaçu, aos Alfeneiros e as Tipuanas, plantios dominantes nas décadas de 70/80.

Com o passador do tempo, inclusive, a paisagem verde da cidade têm se renovado. No ano passado, por exemplo, Curitiba lançou um desafio ousado para a população: ter 100 mil plantios de árvores nativas de setembro de 2019 a setembro de 2020. Até aqui, já foram mais de 47 mil árvores plantadas na cidade em pouco mais de quatro meses, o que representa quase metade da meta. Só na última terça-feira, por exemplo, foi inaugurado o Bosque da Colina, no Pilarzinho. Localizado em uma área de morro e fundo de vale, o local recebeu o plantio de 1,5 mil mudas.

Prevenção

A Prefeitura de Curitiba possui equipes de arborização, responsáveis por fazer a manutenção das árvores em via pública. Apesar disso, não há como garantir que árvores sadias não terão desprendimento de galhos ou quedas neste período. O município faz o monitoramento, podas preventivas e retirada de agentes parasitas, além de promover as vistorias e atendimentos solicitados pela população.

Bairros com maior demanda de atendimento emergenciais envolvendo árvore
(Dados de janeiro – 2020)
Boqueirão 21
Sítio Cercado 19
Bacacheri 18
Água Verde 14
São Francisco 14
Xaxim 13
Bairro Alto 13
Boa Vista 12
Cajuru 11
Batel 11
Barreirinha 11

Fonte: Base de Dados da Central 156, Prefeitura de Curitiba