Proliferação

Com o fim do frio, temporada das pragas se aproxima no Paraná

(Foto: Franklin de Freitas)

Com o fim do inverno é comum que as queixas em relação às pragas aumentem. Para evitar acidentes como picadas de aranha-marrom e infestações de baratas, é interessante se precaver e tomar medidas profiláticas enquanto as temperaturas ainda não estão tão altas, como acontece no verão. O inverno termina no próximo dia 22 de setembro no Hemisfério Sul, e dá lugar à primavera.

Apesar da onda de calor na última semana, o inverno e a primavera costumam ser as melhores estações do ano para realizar uma dedetização no lar ou na empresa. Isso porque os insetos, principalmente aranhas, se escondem no frio e ficam com o metabolismo acelerado no verão, fazendo com que elas saiam de suas tocas e procurem comida e alojamentos mais frescos.

De acordo com Carlos Godoi, da empresa CB Dedetizadora, nesta época há um aumento em 80% na incidência de insetos nas residências, iniciando em meados de setembro e se estendendo até junho, com a chegada do frio. Segundo Godoi, nesse período, a procura por seus serviços aumenta em 150%.

É comum que as pessoas busquem uma solução somente quando os insetos começam a aparecer em vários pontos da casa, mas, nesse estágio, a contenção da infestação se torna ainda mais difícil.

Mas antes de contratar qualquer serviço é importante ter em mente quais pragas, especificamente, se busca combater. Dependendo do inseto, são procurados focos mais assertivos e produtos que irão otimizar os resultados. Adriana Piemontezi, da empresa Biotrat, conta que o procedimento vai diferenciar de acordo com o agente causador da infestação, a metragem do ambiente e quantos ambientes.

Se o intuito é manter a moradia livre de aranhas no verão, por exemplo, é interessante que os procedimentos sejam feitos no frio, enquanto elas estão alojadas em um local só, como o forro. Quanto mais espalhadas as aranhas estiverem, mais difícil será a contenção do problema.

Para que uma dedetização seja feita de maneira eficiente, é preciso trabalhar nos lugares certos. “Baratas, por exemplo, se escondem em locais com maior concentração de gordura, como esgoto e caixa de gordura. Aranhas costumam ficar atrás de móveis, rodapés, cortinas”, diz Piemontezi.

Há, ainda, meios caseiros para evitar grandes manifestações e contribuir na manutenção dos resultados. Nesse caso, é importante manter os ambientes muito bem higienizados, além de criar barreiras físicas, como telas nas janelas e manter as frestas bem vedadas. Além disso, conforme Valdemir Nunes, da Dedetizadora Capital, é preciso ficar atento aos livros, caixas, jardins e até mesmo comidas em bancadas, como frutas e doces.