Publicidade
‘Novo normal’

Com redução do isolamento, postos de combustíveis do Paraná recuperam parte das vendas

Postos viram o movimento cair drasticamente em abril
Postos viram o movimento cair drasticamente em abril (Foto: Franklin de Freitas)

Com a redução do isolamento no Paraná, que está em torno de 37% no Estado, de acordo com a empresa In Loco, o movimento nos postos de gasolina aumentou e o setor ensaia uma recuperação. Enquanto em abril, a queda de vendas era de 70%, agora, segundo o Sindicato dos Revendedores de Combustíveis e Lojas de Conveniências do Estado do Paraná (Sindicombustíveis-PR), a redução é de 35% em relação ao período anterior à pandemia de Covid-19. Ou seja, de março até agora, o setor já recuperou metade das vendas. 

A situação ainda não é das melhores, afinal, os postos de gasolina ainda estão vendendo apenas 65% do que vendiam antes da pandemia, segundo o sindicato dos postos. O setor também não registrou demissões em grande volume. 

Novo aumento

A estatal Petrobras anunciou que aumentará os preços médios da gasolina em suas refinarias em 5% a partir desta quarta-feira (27). Já o preço do diesel será elevado em 7%, acrescentou a empresa, por meio da assessoria de imprensa.

É o quarto aumento nos preços da gasolina da Petrobras neste mês, em meio a uma recuperação nos preços do petróleo, que influenciam os reajustes da companhia. Com isso, o combustível acumula alta nas refinarias de cerca de 45% em maio. No caso do diesel, é o segundo reajuste no mês — no dia 18, o preço já havia sido reajustado em 8%, no que foi a primeira elevação desse combustível nas refinarias da estatal no ano.

Segurança

Para manter a segurança nos postos, o Sindicombustíveis-PR reforçou orientações para frentistas e todas as equipes, como utilização de álcool em gel e cuidado redobrado na limpeza de máquinas de cartão. Os postos do Paraná também seguem determinação da Agência Nacional do Petróleo (ANP) que reduziu os horários obrigatórios de funcionamento, que deve ser de segunda-feira a sábado, das 7 às 19 horas. Antes da pandemia, o horário obrigatório mínimo era das 6 às 20 horas.

Diante da queda drástica nas vendas, muitos postos passaram a trabalhar somente dentro da faixa horária exigida, reduzindo jornadas noturnas. O trabalho no domingo, vale ressaltar, já era facultativo.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES