Brasileirão

Com time novo, Paraná Clube quer surpreender o São Paulo e o Brasil

Micale
Micale (Foto: Geraldo Bubniak)

Quase onze anos depois, o Paraná Clube está perto de voltar a jogar a Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro. Hoje, a equipe comandada pelo técnico Rogério Micale entra em campo a partir das 20 horas para medir forças com o São Paulo, no Estádio Morumbi. E para surpreender logo na estreia, um time praticamente novo deverá ir a campo. São várias mudanças em relação à campanha do acesso à Série A e até em comparação ao Campeonato Paranaense. 

Do time de 2017, por exemplo, só o goleiro Richard era titular na campanha do acesso e hoje permanece entre os 11. Revelado pelo próprio São Paulo, ele admite que fará uma partida diferente. “Encontrar o São Paulo é sempre muito especial, pois foram 13 anos no clube, onde eu cresci como profissional e como pessoa”, afirmou.

Já com relação à derrota para o Londrina, na semifinal da Taça Caio Júnior, deverão ser seis alterações, com Márcio, Rayan, Leandro Vilela, Báez, Diego e Thiago Santos deixando o time para as entradas de Cleber Reis, Jesiel, Jhonny Lucas, Caio Henrique, Vitor Feijão e Luan Viana, respectivamente – sendo que os dois primeiros, o antepenúltimo e o último farão suas estreias com a camisa paranista.

Para o técnico Rogério Micale, tantas novidades podem acabar tendo um impacto positivo para o Paraná no confronto. “Vamos tirar certo proveito que o São Paulo ainda não nos viu jogar. A informação hoje em dia é muito importante e todo mundo está atento a tudo, , mas é claro que não ganha jogo”, disse o treinador.

A ideia, portanto, é tirar vantagem do desconhecimento do adversário para somar três pontos fora de casa. Seria o primeiro passo para alcançar o principal objetivo do clube: surpreender o Brasil e evitar o chamado efeito ioiô. De largada, o time paranaense é um dos principais candidatos ao rebaixamento e o abismo financeiro com relação aos rivais da elite ajuda a explicar isso.

Em 2017, o orçamento salarial mensal do clube era de R$ 400 mil mensais. Hoje, esse montante quadruplicou por conta do aumento das receitas de patrocínio e das cotas de televisão.Ainda assim, porém, o Paraná está entre as equipes com menor poderio econômico da Série A – posto que no ano passado pertenceu ao Atlético-GO (R$ 1,4 milhão) e ao Avaí (R$ 1,5 milhão), que acabaram rebaixados. Por aí, então, já dá para se ter uma ideia do desafio que o clube paranista terá pela frente.

Adversário deve jogar com time misto

Pelo lado são-paulino, a tendência é que Diego Aguirre escale uma equipe mista para a estreia do Brasileirão, uma vez que na quinta-feira o clube tem jogo decisivo no Morumbi pela quarta fase da Copa do Brasil, contra o Atlético-PR. O único desfalque já confirmado, contudo, é o lateral-esquerdo Reinaldo, que sofreu um estiramento no músculo adutor da perna direita no meio de semana, durante o confronto contra o Rosario Central (ARG) pela Copa Sul-Americana, e deve ficar três semanas no estaleiro.

São Paulo x Paraná

São Paulo: Sidão; Éder Militão (Régis), Rodrigo Caio (Bruno Alves), Arboleda e Júnior Tavares (Edimar); Jucilei (Hudson), Petros (Cueva) e Liziero; Nenê (Lucas Fernandes), Tréllez (Diego Souza) e Valdívia (Marcos Guilherme). Técnico: Diego Aguirre
Paraná: Richard; Alemão, Cléber Reis, Jesiel e Mansur; Wesley Dias, Jhonny Lucas, Caio Henrique, Carlos Eduardo e Vitor Feijão; Luan Viana. Técnico: Rogério Micale
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Local: Estádio Morumbi, em São Paulo (SP), segunda-feira (16/04) às 20 horas