Com times grandes na Libertadores, Paulistão começa com 'teste de popularidade'

Estadual mais forte do País com cinco clubes da Série A (Corinthians, Palmeiras, Bragantino, Santos e São Paulo) e quatro da Série B (Botafogo, Guarani, Oeste e Ponte Preta), o Campeonato Paulista terá um "teste de popularidade" em 2020. O torneio vai dividir a atenção com a Libertadores, que terá a presença dos quatro grandes pela primeira vez na história.

O jogo de abertura do Paulistão será nesta quarta-feira entre Novorizontino e Oeste às 17 horas no Estádio Jorge Biasi, em Novo Horizonte. O Estadual vai até 26 de abril. Com a presença do Corinthians, a fase preliminar do torneio sul-americano começa em fevereiro. A fase de grupos tem jogos a partir de março com Palmeiras, Santos e São Paulo. Isso significa que as datas das competições estadual e do continental vão "bater". O planejamento da comissão técnica de cada clube vai definir se os titulares serão usados no dois torneios ou se haverá algum revezamento. "O foco já é pensar no Ituano, porque este negócio de Paulistinha não existe", afirmou Felipe Melo durante a disputa da Florida Cup, referindo-se à estreia do Palmeiras diante do time de Itu.

A premiação total do Paulistão é de R$ 11,79 milhões, incluindo a disputa do Troféu do Interior. Serão R$ 5 milhões para o campeão estadual; R$ 1,6 milhão para o vice e R$ 1 milhão para o terceiro colocado. Os valores são os mesmos do ano passado.

A atual edição será marcada pelas trocas do comando técnico. Três dos quatro grandes clubes do estado trocaram de técnico na virada do ano - só o São Paulo manteve Fernando Diniz. Os times apostam em novas ideias - o Santos trouxe o português Jesualdo Ferreira e o Corinthians promove um salto na carreira de Tiago Nunes - ou em experiências que já deram certo - Luxemburgo inicia sua quinta passagem pelo Palmeiras. Com pouco dinheiro em caixa, todos fizeram contratações pontuais. Atual tricampeão do Estadual, a equipe do Parque São Jorge inicia a busca pelo tetra liderado pelo meia-atacante Luan, ex-Grêmio, a grande contratação do clube na pré-temporada.

Os gigantes do Estado ganham a companhia do Bragantino, tradicional clube do interior que retornou à primeira divisão do Campeonato Brasileiro depois de 22 anos de ausência. O grande impulso foi a parceria com a multinacional Red Bull. O objetivo da empresa austríaca de bebidas é repetir em Bragança o sucesso que obteve em clubes de outros países. O time trocou oficialmente de nome - será o Red Bull Bragantino -, com novo escudo e até um uniforme vermelho.

A competição marca a volta da Inter de Limeira, campeã do torneio em 1986 e que não disputava a elite desde 2005 e também o retorno do Santo André, que estava ausente da primeira divisão desde 2018.

O torneio será mais enxuto. A mudança aconteceu após a CBF disponibilizar apenas 16 datas. O campeonato será interrompido na Data Fifa programada para março. Com isso, a próxima edição terá quartas de final e semifinais em jogos únicos. A decisão continua sendo com duas partidas. Pelo segundo ano consecutivo, a Federação Paulista de Futebol recorrerá à tecnologia para auxiliar a arbitragem nas decisões de campo. As imagens serão utilizadas a partir das quartas de final.

Assuntos