Brasileirão

Coritiba confirma que entrou com representação na CBF contra árbitros no Atletiba

Capitães de Athletico e Coritiba e os árbitros antes do Atletiba de domingo
Capitães de Athletico e Coritiba e os árbitros antes do Atletiba de domingo (Foto: Valquir Aureliano)

O Coritiba protocolou na tarde de segunda-feira (20) uma representação administrativa junto à CBF em que protesta contra a atuação dos árbitros no clássico Atletiba, disputado no domingo (19), no Estádio Couto Pereira. A representação cita os árbitros Luiz Flávio de Oliveira, que conduziu a partida, e Daiane Caroline Muniz dos Santos, responsável pelo VAR.

“O documento destaca o pênalti claro não assinalado aos 56 minutos do segundo tempo, quando o atacante Leo Gamalho sofreu carga faltosa do zagueiro adversário. Neste lance, o jogador do Athletico coloca as duas mãos no rosto do atacante Coritibano impedindo a sequência da jogada”, disse o Coritiba, em nota oficial assinada pelo presidente Juarez Moraes. “O texto ressalta ainda que, além de não marcar o pênalti, o árbitro principal, de forma precipitada, encerra a partida imediatamente após o lance. A árbitra de vídeo não avisa o árbitro de campo sobre a existência do lance e tão pouco recomenda a revisão da jogada”.

Segundo o Código Brasileiro de Justiça Desportiva, decisões disciplinares tomadas pela equipe de arbitragem durante os jogos não são passíveis de modificação. Mas o clube afirma que elas são passíveis de análise e punições aplicáveis pelos órgãos da Justiça Desportiva.

No documento, o Coritiba pede o fornecimento dos áudios que contenham os diálogos da arbitragem durante a partida. Além disso, pede que os árbitros sejam advertidos e que não sejam mais escalados em partidas do clube nesta temporada.

“É necessário e urgente investir na profissionalização dos árbitros no Brasil. Erros graves de arbitragem e na aplicação do VAR podem causar prejuízos imensuráveis aos clubes e ao espetáculo do futebol”, diz a nota do Coritiba.