Série B

Coritiba é atropelado pelo Cruzeiro e sofre maior derrota caseira desde 2018

(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)
(Foto: Valquir Aureliano)

O Coritiba perdeu por 3 a0 o Cruzeiro, nessa sexta-feira (dia 8) à noite, no Couto Pereira, pela 29ª rodada da Série B. Com o resultado, o time paranaense segue na liderança, com 54 pontos — 3 à frente do vice Botafogo. A equipe mineira está em 11º lugar, com 38 pontos. Clique aqui para ver a classificação no site Srgoool.

Essa foi a maior derrota do Coritiba no Couto Pereira desde março de 2018, quando levou 3 a 0 do Maringá, pelo Paranaense. Na época, o time era comandado pelo técnico Sandro Forner. Como visitante, a maior derrota recente foi o 3 a 0 para o CSA, em agosto de 2021.

Na Série B 2021, o Coritiba vinha de 7 rodadas sem perder (4 vitórias e 3 empates).

Clique aqui para ver as ATUAÇÕES — notas para os jogadores do Coritiba.

TORCIDA
A Prefeitura de Curitiba publicou novo decreto nessa semana liberando os estádios para 50% da capacidade. Com isso, o Couto Pereira poderia receber até 20 mil pessoas. O clube tem cerca de 11 mil sócios em dia. Os ingressos custavam de R$ 100 a R$ 200. Pelo decreto municipal, é preciso apresentar exame de Covid-19 com resultado negativo feito no máximo 48 horas do jogo. Esse foi o terceiro jogo com a presença de torcedores no Couto Pereira em 2021. Contra o Guarani, o estádio recebeu 1.400 torcedores. Contra o Remo, foram 900. Dessa vez, nessa sexta-feira, o estádio recebeu 1.720 pagantes (sócios e torcedores que compraram ingressos).

REI DO EMPATE
Desde a chegada do técnico Vanderlei Luxemburo, em agosto, o Cruzeiro só sofreu uma derrota: 2 a 1 para o CSA, no Mineirão. Nos demais 13 jogos, foram 6 vitórias e 7 empates. No total das 29 rodadas, o Cruzeiro é o time com mais empates na Série B, com 14 – empatado com o Vitória.

ESCALAÇÃO
O técnico Gustavo Morínigo tinha as voltas de Henrique e Robinho. A baixa era Waguininho, lesionado. Matheus Sales começou no banco e Val ficou como titular. O treinador manteve esquema tático 4-2-3-1, com Robinho (centro), Rafinha (direita) e Igor Paixão (esquerda). No Cruzeiro, as baixas eram Wellington Nem, Flávio, Marcinho e Marcelo Moreno. Luxemburgo também usou o 4-2-3-1.

PRIMEIRO TEMPO
O jogo começou com gol. Já aos 2 minutos, o meia Giovanni (ex-Coritiba) fintou Natanael e chutou no cantinho. O Cruzeiro ampliou para 2 a 0 aos 7 minutos, roubando a bola no ataque e acionando Vitor Leque. Ele cruzou para Adriano, livre. Ele chutou no centro e Wilson falhou. O Coxa sentiu o baque e se perdeu em campo. O time mineiro teve mais duas chances claras para ampliar, ambas em contra-ataques. A equipe paranaense só conseguiu incomodar em três chutes de fora da área e em uma cobrança de escanteio.

SEGUNDO TEMPO
O Coritiba conseguiu equilibrar o jogo no começo do segundo tempo, mas o duelo ficou truncado, sem ataques dos dois lados. Na bola parada, porém, o Cruzeiro fez 3 a 0, aos 15. Giovanni bateu escanteio e Brock (ex-Paraná) marcou de cabeça, aproveitando falha de Val e Natanael. Em um escanteio, aos 19, o Coxa ganhou um pênalti – Gamalho cabeceou e Ramon cortou com o braço. O próprio Gamalho cobrou a penalidade com um chute no centro do gol. Fábio defendeu com o pé. Aos 24, a primeira substituição no Coxa, com a saída do ponta Igor Paixão para a entrada do centroavante William Alves. Em seguida, entrou o ponta Gui Azevedo no lugar do volante Val. Aos 37, mais duas trocas, com as entradas do meia Biel e do volante Matheus Sales. As mudanças surtiram pouco efeito. O Cruzeiro se fechou após o 3 a 0 e anulou as principais armas do adversário.

ESTATÍSTICAS
No total dos 90 minutos, o Coritiba teve 19 finalizações (5 certas), 67% de posse de bola, 86% de eficiência nos passes e 7 faltas cometidas. Já o Cruzeiro somou 3 finalizações (9 certas), 33% de posse de bola, 75% de eficiência nos passes e 11 faltas cometidas. Os dados são do site Sofascore.

CORITIBA 0x3 CRUZEIRO
Coritiba: Wilson; Natanael, Henrique, Luciano Castán e Guilherme Biro; Willian Farias (Matheus Sales) e Val (Gui Azevedo); Rafinha (Biel), Robinho e Igor Paixão (William Alves); Léo Gamalho. Técnico: Gustavo Morínigo
Cruzeiro: Fábio; Rômulo, Brock, Ramon e Matheus Pereira (Keké); Adriano e Lucas Ventura (Ariel Cabral); Vitor Leque (Léo Santos), Giovanni e Bruno José (Felipe Augusto); Thiago. Técnico: Luxemburgo
Gols: Giovanni (2-1º), Adriano (7-1º) e Brock (15-2º)
Cartões amarelos: Matheus Pereira, Bruno José, Ramon, Ariel Cabral (Cru). Willian Farias (Cor).
Árbitro: Marielson Alves Silva (BA)
Local: Couto Pereira

PRINCIPAIS LANCES
Primeiro tempo
2 - Gol do Cruzeiro. Depois de escanteio e bate-rebate, o Cruzeiro pressiona e recupera no ataque. Vitor Leque aciona Giovanni. Na área, ele finta Natanael e chuta no cantinho.
4 - Contra-ataque. Thiago coloca Vitor Leque na cara do gol. Ele erra o domínio e Natanael salva.
7 - Gol do Cruzeiro. Igor Paixão é desarmado. Vitor Leque cruza da direita. Adriano recebe livre e chuta no meio do gol. Wilson aceita.
12 - Willian Farias pega rebote fora da área e chuta ao lado.
18 - Rômulo lança. Thiago ganha de Castán, invade a área e chuta perto, ao lado.
26 - Contra-ataque do Cruzeiro. Dois contra um. Giovanni chuta de fora da área. A bola passa perto, ao lado.
27 - Escanteio. Robinho cruza. Léo Gamalho cabeceia no centro. Fábio defende.
28 - Igor Paixão cruza. A zaga tira. Willian Farias chuta da meia-lua. A bola passa perto, ao lado.
31 - Falta de média distância. Val chuta forte. Fábio segura.
41 - Contra-ataque. Vitor Leque lança. Bruno José sai na cara do gol. Rafinha desarma e salva o Coritiba.

Segundo tempo
6 - Robinho cruza. Igor Paixão domina na área e rola para Léo Gamalho, que demora para chutar e a zaga bloqueia.
15 - Gol do Cruzeiro. Escanteio. Giovanni cruza. Brock sobe mais que Val e cabeceia.
19 - Robinho bate escanteio. Léo Gamalho cabeceia. Ramon corta com o braço. O VAR avisa, o árbitro verifica e marca pênalti.
22 - Gamalho cobra o pênalti no centro e Fábio defende com o pé.
44 – Gamalho chuta de fora da área. Fábio segura.