Pandemia

Coritiba gastou R$ 195 mil nos dois jogos com público no Couto Pereira

Torcida no Couto Pereira na partida contra o Guarani
Torcida no Couto Pereira na partida contra o Guarani (Foto: Arquivo Bem Paraná/Du Caneppele)

O Coritiba gastou R$ 195 mil para realizar os dois jogos com público no Couto Pereira na Série B. Contra o Guarani e o Confiança, o clube abriu o estádio para a torcida pela primeira vez em 2021. Só sócios poderiam entrar e era necessário apresentar exame de Covid-19 realizado no máximo 48 horas antes da partida.

O estádio recebeu 1.372 sócios contra o Guarani e 819 contra o Confiança. O espaço estava limitado a 5 mil pessoas, seguindo decreto da Prefeitura de Curitiba com restrições relativas à Covid-19.

Os sócios pagam mensalidades, mas não pagam ingresso. No borderô (relatório financeiro da partida) é lançado o valor de R$ 20 por sócio, para que ocorram os descontos proporcionais.

No mesmo documento, registrado na CBF, o Coritiba relatou que gastou R$ 107 mil para realizar a partida contra o Guarani. O maior gasto está no item 'Despesas Gerais do Clube (Ambulância, Segurança, Som, Diversos)', com R$ 77 mil. O segundo maior valor é arbitragem, com R$ 17 mil.

Contra o Confiança, o gasto total da partida foi de R$ 88 mil. O item 'Despesas Operacionais do Clube' foi o maior valor, com R$ 60 mil.

O Coritiba volta a jogar na sexta-feira (dia 8) às 21h30, contra o Cruzeiro, no Couto Pereira. Para esta partida, a diretoria do clube tenta aumentar o limite no estádio de 5 mil para 10 mil pessoas. Se isso ocorrer, o acesso não será restrito a sócios e o clube vai vender ingressos. A diretoria também tenta convencer a Prefeitura de Curitiba a autorizar o acesso para quem tem as duas doses da vacina sem precisar realizar o teste de Covid-19.