Publicidade
Série B

Coritiba lamenta gol impedido que custou fim de sequência invicta

Louzer: “Precisamos ser mais incisivos”
Louzer: “Precisamos ser mais incisivos” (Foto: Valquir Aureliano)

O Coritiba perdeu por 1 a 0 para a Ponte Preta, no sábado (31) à tarde, em Campinas, pela 20ª rodada da Série B. O lance que definiu o jogo foi polêmico: Roger estava levemente adiantado. O time coxa-branca tentou não fazer críticas diretas à arbitragem, mas lamentou o gol em impedimento que definiu a partida. [

“Não entro do mérito da arbitragem, assumo as nossas responsabilidades. Pecamos nos passes no primeiro tempo para ter um melhor arremate. Depois levamos um gol de bola parada, que era uma orientação nossa, infelizmente impedido”, declarou o técnico do Coritiba, Umberto Louzer, em entrevistas logo após a partida.[

A imagem da TV mostra Roger um pouco adiantado, em impedimento, mas fica claro que é um lance muito difícil de ser detectado sem ajuda eletrônica. Na Central do Apito do Sportv, o ex-árbitro Paulo Cesar Oliveira afirmou que houve impedimento.

Louzer lamentou outros aspectos. “No segundo tempo tivemos chances de empatar para, pelo menos, levar um ponto daqui. Voltamos com uma postura melhor e um capricho mais, sendo agressivos. Quando temos o controle, precisamos ser mais incisivos e eficientes para poder fazer a vitória. Não nos acovardamos”, disse.

Agora o Coritiba ganha uma semana inteira de preparação e só volta a jogar no domingo, contra o Atlético-GO, no Couto Pereira.

A derrota de sábado interrompeu a série de dez jogos seguidos sem perder do Coxa. Com o resultado, o time paranaense ficou em 2º lugar, com 34 pontos. O Bragantino lidera, com 41. A equipe de Campinas está na 7ª colocação, com 30 pontos.

O técnico Umberto Louzer completou 27 jogos no Coritiba, agora com 13 vitórias, 9 empates e 5 derrotas.

Análise
O Coritiba não repetiu a boa atuação do empate contra o Vitória. Dessa vez, o time até mostrou bom futebol em alguns momentos, mas não teve a mesma intensidade física das últimas rodadas e cometeu mais erros técnicos. A Ponte mais lutou do que jogou. Fez um gol na bola parada e foi eficiente no setor defensivo.

Os desfalques no Coritiba eram Rafael Lima e Walisson Maia, lesionados, além de Rafinha, suspenso por cartões amarelos. O esquema tático era o 4-1-4-1, com Matheus Sales como único volante. A linha de quatro tinha Alano e Giovanni centralizados, além de Thiago Lopes e Patrick Brey como extremos (pelos lados do campo).

A primeira etapa foi equilibrada. O Coritiba viveu bons momentos nas trocas de passes entre Giovanni, Brey e Alano, mas Rodrigão acabou se atrapalhando nos momentos decisivos. A Ponte não fazia partida com qualidade técnica, mas era forte fisicamente. O time paulista abriu o placar aos 29, em cobrança de falta de Diego Renan para cabeceio de Roger (ex-Athletico-PR). Depois do gol, a Ponte melhorou na partida. Na etapa final, o Coritiba avançou e sufocou o adversário partir dos 20 minutos, mas não conseguiu o empate.

Nos 90 minutos, o Coritiba somou 11 finalizações (2 certas), 65% de posse de bola, 83% de acerto nos passes e 4 escanteios. A Ponte obteve 15 finalizações (5 certas), 35% de posse de bola, 71% de acerto nos passes e 4 escanteios. Os números são do site Sofascore.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES