Publicidade
Série B

Coritiba terá sequência como mandante contra visitantes perigosos

Coritiba terá sequência como mandante contra visitantes perigosos
Alex Alves: opção para o lugar de Thalisson Kelven, suspenso (Foto: Geraldo Bubniak)

O Coritiba terá dois jogos seguidos no Couto Pereira nas próximas rodadas da Série B do Campeonato Brasileiro. No próximo sábado (dia 29), recebe o Avaí, e, em 2 de outubro, enfrenta o Juventude em Curitiba. 

O fator campo pesou a favor do Coxa no primeiro turno da competição, mas agora está em declínio. Foram duas derrotas, três empates e uma vitória no Couto Pereira nos últimos seis jogos como mandante. Agora, o time é apenas o quarto no ranking de mandantes,  com 64% de aproveitamento dos pontos. 

Para complicar, os dois próximos adversários no Couto Pereira são times com bom desempenho fora de casa. O Avaí é o segundo melhor visitante da Série B, com 52% de aproveitamento de pontos — seis vitórias, quatro empates e quatro derrotas. E o Juventude é o visitante menos vazado da competição – sofreu apenas 13 gols em 15 partidas fora de casa. O Coxa é o time que mais sofreu gols fora de casa: 22 em 15 jogos. O Juventude tem a sétima melhor campanha no ranking de visitantes.

CHANCES
Após o empate com o CRB, na última sexta-feira, o Coritiba ficou em 12º lugar na Série B e, segundo o site Chancedegol.com.br, tem apenas 1,1% de chances de subir à primeira divisão em 2018. O cálculo simula todos os jogos restantes da competição e considera o grau de dificuldade de cada partida. A força de cada equipe é determinada pelos resultados obtidos nos últimos 12 meses em competições oficiais. O Coxa tem 2,3% de risco de rebaixamento.

ESCALAÇÃO
O Coritiba não terá o zagueiro Thalisson Kelven e o volante Uillian Correia na próxima rodada, contra o Avaí. Os dois estão suspensos. No último jogo, o técnico Argel Fucks estreou pelo clube usando o esquema tático 4-2-2-2. A provável escalação para a próxima partida é Wilson; Leandro Silva, Rafael Lima, Alex Alves (Alan Costa) e Abner; Escobar e Vítor Carvalho; Jean Carlos e Chiquinho; Guilherme Parede e Alecsandro.

DESTAQUES DOS EDITORES