Estadual 2021

Coritiba tinha 1,23% de chance de ser eliminado e fica ‘protocolar’ após vexame histórico

Gustavo Morínigo, técnico do Coritiba
Gustavo Morínigo, técnico do Coritiba (Foto: Valquir Aureliano)

Se há um termo para o comportamento do Coritiba após a eliminação histórica no Campeonato Paranaense, o termo é “protocolar”. O clube limitou-se a frases feitas após a derrota de 2 a 1 para o Rio Branco, no sábado (15), que custou a vaga nas quartas de final da competição. Depois, nas redes sociais, a diretoria fez um pronunciamento igualmente protocolar, sem termos práticos.

Considerando 33% de chance de vitória, 33% de chance de empate e 33% de chance de derrota a cada partida, a chance estatística do Coritiba ser eliminado na primeira fase do Estadual era de 1,23%. O time precisaria perder para o Rio Branco. Além disso, o Athletico tinha derrotar o Toledo em Toledo. O Maringá necessitava vencer o Cascavel CR em casa. E o Cianorte precisava bater o Azuriz. Essa combinação de resultados, a única capaz de eliminar os coxas-brancas, se confirmou.

O Rio Branco, adversário da última rodada, ainda lutava contra o rebaixamento e, até então, tinha o pior ataque da competição, com 4 gols feitos em 10 jogos. Com os dois gols sobre o Coritiba, o time de Paranaguá escapou do descenso e deixou o rótulo de pior ataque para o Toledo (5 gols em 11 jogos).

O técnico coxa-branca, Gustavo Morínigo, não deu muitas explicações sobre a derrota. “Em primeiro momento temos que ver o que passou, seguir trabalhando muito, ao máximo, sabendo que nos falta muito”, afirmou ele.

O treinador também falou pouco sobre o mau momento da equipe no Estadual. Nos últimos cinco jogos, o time somou apenas 1 ponto – no empate em 1 a 1 com o Cianorte, na 10ª rodada. E havia sofrido três derrotas seguidas (para FC Cascavel, Athletico e Londrina). “Não é um momento bom, é algo triste. E não é falta de determinação, mas tem temos que assumir este momento como se é”, disse Morínigo. “Temos que nos levantar, ver o que aconteceu com a gente”.

Nota oficial

Ainda no sábado, a diretoria do Coritiba divulgou uma nota oficial em que se dizia ciente da responsabilidade. “O Conselho Administrativo e a diretoria executiva do Coritiba Foot Ball Club sabem da responsabilidade da eliminação da equipe na primeira fase do Campeonato Paranaense. Descontente com o momento, a diretoria segue atenta à situação do clube ao planejamento e sua execução neste início de temporada, analisando o cenário em busca das melhores decisões para o presente e o futuro da instituição. O presidente e sua diretoria se reportarão em breve diretamente à torcida”, dizia a nota, em sua íntegra, sem atitudes efetivas ou pedidos de desculpas pela eliminação precoce.

No campo

O Coritiba volta a campo na sexta-feira (28) da próxima semana, quando abre a Série B diante do Avaí, no Couto Pereira. Para este jogo, o time coxa-branca pode ter a estreia do zagueiro Henrique, revelado no próprio Coritiba e que estava no Belenenses, de Portugal. “Para mim é uma alegria muito grande poder voltar, tive muitos momentos de alegria, do meu sonho, onde tudo começou. Quando surgiu essa oportunidade de poder vestir essa camisa novamente, pra mim foi um orgulho muito grande, uma felicidade imensa”, disse Henrique, ao site oficial do clube.