Publicidade
Paralisação

Correios suspendem temporariamente os serviços Sedex por causa da greve

Os Correios suspenderam temporariamente as postagens de serviços com hora marcada (Sedex 10, Sedex 12, Sedex Hoje) por causa da greve dos funcionários da empresa iniciada nesta quarta-feira (11).

Apesar da suspensão de parte dos serviços, os Correios afirmam que a rede de atendimento está aberta em todo o país e que serviços como "SEDEX e PAC continuam sendo postados e entregues em todos os municípios". Para mais informações, os clientes podem entrar em contato pelo telefone 0800 725 0100.

A estatal informou ainda que já colocou em prática o chamado "Plano de Continuidade de Negócios "para minimizar os impactos da paralisação de funcionários à população. "Medidas como o deslocamento de empregados administrativos para auxiliar na operação, remanejamento de veículos e a realização de mutirões estão sendo adotadas", disse a empresa.

Para mais informações, os clientes podem entrar em contato pelo telefone 0800 725 0100

Os funcionários dos Correios entraram em greve geral por tempo indeterminado. Segundo a Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect) e a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect), que todos os 36 sindicatos de trabalhadores dos Correios aderir à greve por tempo indeterminado.

Dissídio

Os trabalhadores nos Correios deflagraram nesta quarta-feira (11) uma greve por tempo indeterminado. Com isso, ainda na tarde desta quarta, a direção dos Correios entrou com pedido de dissídio coletivo no Tribunal Superior do Trabalho (TST). Agora, a corte irá avaliar o processo de negociação, ouvindo as partes, e o relator produzirá um voto que será analisado por um colegiado do tribunal, em sessão a ser posteriormente agendada.

Em Curitiba, os trabalhadores em greve colocaram faixas em frente à sede da empresa em Cuririba. Já a empresa informou que apesar da greve, a maioria das agências funcionou normalmente, sem prejuízo para o atendimento. A empresa também colocou em prática seu Plano de Continuidade de Negócios para minimizar os impactos à população.

Já o Sindicato da categoria diz que 70% dos trabalhadores aderiram à paralisação no Paraná. Os trabalhadores pedem reposição salarial de 3,8%, para cobrir a inflação do período, mas a empresa teria ofertado apenas 0,8%.

Correios

Em razão do anúncio da paralisação dos correios a partir desta quarta-feira (11/09), o Procon-PR, departamento vinculado à Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho, orienta que nenhum prejuízo pode ser imposto ao consumidor.

O secretário da pasta, Ney Leprevost, determinou ao Procon-PR que reforce as orientações aos consumidores sobre como proceder caso não receba contas, boletos ou faturas para pagamento em razão da paralisação.

De acordo com a chefe do Procon, Cláudia Silvano, se algum cidadão tiver qualquer ônus deve formalizar reclamação no órgão de defesa do consumidor ou na plataforma consumidor.gov.br.

Segundo Cláudia, é importante lembrar que existem opções se o consumidor não receber os boletos, faturas ou contas. Os fornecedores devem disponibilizar outras formas de pagamento, como recebimento direto, envio de boletos por e-mail ou do código de barras para que o pagamento ocorra de forma regular.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES