Que tal doar as suas?

Corrida por máscaras deixou hospitais do Paraná com estoque 'apertado'

(Foto: Franklin de Freitas)

Os hospitais paranaenses adotam medidas de prevenção à Covid-19 e anunciaram quais são as atitudes que já estão em prática no estado. As informações foram repassadas nesta segunda-feira (23 de março) pela Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Beneficentes do Estado do Paraná (Femipa), Associação dos Hospitais do Paraná (Ahopar), Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Estado do Paraná (Fehospar) e Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Paraná (Sindipar). Algumas medidas estão relacionadas com materiais e equipamentos de segurança para os profissionais de saúde, o que inclui um maior controle ao uso dos mesmos, sem prejudicar o atendimento ou a segurança e com o objetivo de evitar falta de material em um curto período. O presidente da Femipa, Flaviano Feu Ventorim, explicou que a situação dos hospitais neste momento é regular e todos os estabelecimentos estão com estoques. No entanto, há preocupação com a duração deles, em especial o de máscaras.

Ele revelou que houve um consumo gigantesco de materiais nos últimos dias, incluindo parte da população que saiu à procura de máscaras e outros produtos e fez estoque em casa, gerando dificuldades no mercado. Nos hospitais, o estoque de cerca de dois meses foi utilizado em 10 dias. Ventorim ainda contou casos de furtos de máscara e álcool em gel nos hospitais do Paraná, por pacientes e acompanhantes em alguns locais.

"Estamos trabalhando para mitigar o risco. Os hospitais ainda têm estoque, mas precisamos da ajuda da população. A máscara ajuda quem está no hospital, quem está atendendo a população. Em uma eventual situação de necessidade, uma saída pode ser organizar doações junto aos hospitais. Quem comprou e está estocando em casa poderia entregar estas máscaras aos hospitais. É um material importante para quem está atendendo as pessoas", salientou.

Leia reportagem completa no site Saúde Debate