COVID-19 e a relação com a Síndrome Inflamatória Multissistêmica

Em abril de 2020 os médicos americanos notaram que havia uma associação entre a Síndrome Respiratória Aguda Grave causada por vírus SARS-CoV-2 (que causa a COVID 19) e uma doença chamada Síndrome Inflamatória Multissistêmica em Crianças, aqui no Brasil é conhecida como SIM-P.
Trata-se de uma complicação grave, porém rara, veja que eu disse rara, da COVID19 que afeta crianças. Acontece em média de duas a seis semanas após a infecção pelo SARS-CoV-2. A criança passa a apresentar febre persistente e sintomas genéricos como dor abdominal, vômitos, dor de cabeça e fadiga. Pode ter vermelhidão dos olhos e erupções da pele que lembram outra doença, também inflamatória, a Doença de Kawasaki. A SIM-P afeta mais que um órgão (coração, pulmão, sistema nervoso, pele, aparelho digestório) e pode afetar a coagulação.
Não existe um tratamento específico para a SIM-P, o que se faz é controlar a inflamação com as medicações existentes e promover o suporte adequado para o paciente se recuperar. Muito já foi aprendido sobre a SIM-P e atualmente seu pediatra tem condições de fazer o diagnóstico e iniciar o controle rápido da situação.
Particularmente, não gosto de trazer artigos alarmistas, que causem mais pânico nas mães e pais atormentados por COVID19, bronquiolites, hepatites misteriosas, varíola dos macacos, etc., entretanto, resolvi escrever este texto porque é possível prevenir a SIM-P e se ocorrer, o início das terapias precocemente melhora muito a evolução.
A prevenção é feita protegendo a criança da infecção pelo e SARS-COV-2, mantendo, higiene das mãos, afastando e testando as crianças suspeitas, usando máscaras e principalmente vacinando as crianças acima de cinco anos.
Como a SIM-P ocorre após infecção por SARS-COV2, é fundamental que os pais testem seus filhos caso tenham algum sintoma que lembre COVID19, só assim o pediatra poderá pensar mais precocemente no diagnóstico.
Muitos pais sentem pena de fazer os exames com o Swab nasal em seus filhos porque o exame é desagradável, quem já fez sabe que colher o exame para COVID19 não é bom mesmo.
Particularmente, acho exame de sangue muito pior, mas vejo pais que em outras ocasiões me pediram requisições para colher exames de sangue para check up e que agora relutam diante da “cotonetada” no nariz.
O mesmo ocorre em relação a vacina, pais que têm a carteirinha de vacinação completa, resistem às vacinas contra COVID19 que se mostraram seguras e eficazes no mundo todo.
A polêmica ideológica em torno da COVID19 trouxe inúmeros prejuízos para todos, e não é o momento de discutir sobre isto neste texto, mas como pediatra, pai e ser humano, a postura ideológica que defendo é a de proteção das crianças, baseado em evidências


* Cícero Alaor Kluppel é médico pediatra em Curitiba