Pesquisa

Covid-19: uso de hidroxicloroquina piora sintomas em pacientes com problemas de pele

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa (Foto: Robson Valverde/SES-SC)

Compreender os efeitos da Covid-19 em pacientes com doenças inflamatórias e autoimunes da pele. Esse foi o objetivo de estudo desenvolvido por pesquisadores brasileiros publicado no Jornal da Academia Europeia de Dermatologia, referência na área, e que contou com a participação do professor da Escola de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) Caio Cesar Silva de Castro.

Para tanto, os pesquisadores coletaram dados de 800 pacientes que tiveram Covid-19 e têm psoríase, dermatite atópica, vitiligo e urticária crônica. Os dermatologistas constataram que a severidade do SARS-CoV-2 nos indivíduos com problemas de pele foi similar à dos pacientes controle, sem doenças dermatológicas. Foi observado, contudo, que pessoas com dermatite atópica apresentam os sintomas do novo coronavírus de forma mais prolongada.

Outra descoberta dos pesquisadores foi de que pacientes com vitiligo que usaram antimaláricos, como a hidroxicloroquina, durante a Covid-19 tiveram uma piora no problema de pele. Além disso, pacientes com vitiligo que tomavam algum tipo de antioxidante para controlar a doença dermatológica e contraíram o SARS-CoV-2 tiveram menor taxa de hospitalização.

“A hipótese para justificar a piora clínica do vitiligo em pacientes que fizeram uso de hidroxicloroquina está relacionada à diminuição da produção de melanina ou fotossensibilidade causada por essa droga. É conhecido que a irradiação solar danifica os melanócitos [células responsáveis pela produção de melanina] por meio da fotossensibilização”, explica Castro.

“Além disso, antimaláricos, como a cloroquina, são medicamentos com potente ação oxidativa, que podem causar estresse oxidativo nos melanócitos e fibroblastos [principais células envolvidas na cicatrização] em pacientes com vitiligo ativo”, completa o pesquisador.

Essa foi a primeira pesquisa mundial que estudou os efeitos da Covid-19 em pacientes com vitiligo. O estudo completo pode ser acessado no link: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/jdv.17635.