Habitação

Cresce o seguro-fiança em contratos de aluguel cresce no Paraná

O seguro-fiança está conquistando cada vez mais adeptos como forma de garantia ao aluguel e no Paraná fica atrás apenas do fiador. No último mês de julho, 25,4% dos inquilinos optaram pela modalidade no momento de fechar o contrato, frente aos 64,2% que recorreram ao fiador tradicional. No mesmo período do ano passado, o fiador representava 72,7% dos contratos, e o seguro fiança 15,8%. Os dados são do Inpespar (Instituto Paranaense de Pesquisa e Desenvolvimento do Mercado Imobiliário e Condominial), órgão ligado ao Secovi-PR.

O aumento na procura deste modelo de garantia locatícia foi estimulado, principalmente, pelas campanhas focadas no seguro-fiança realizadas por imobiliárias. No Grupo Gonzaga, por exemplo, desde outubro de 2015 os inquilinos podem contratar o seguro-fiança gratuito, o que aumentou em 50% as locações que têm a modalidade como garantia, de acordo com Marília Gonzaga, diretora-presidente do grupo.

Segundo ela, o objetivo da imobiliária ao oferecer o seguro-fiança gratuito é facilitar o aluguel tanto para o inquilino como para o proprietário, já que a inflexibilidade na garantia pode comprometer o fechamento de contratos de locação. Muitas pessoas deixam de alugar por não poder pagar o seguro-fiança ou não ter um fiador para indicar. Com o seguro-fiança gratuito para o inquilino, agilizamos o processo sem abrir mão da segurança e mostramos que na Gonzaga o sonho de morar em um lugar melhor é possível, explica.

A iniciativa do Grupo Gonzaga é uma resposta à situação de momento no mercado imobiliário, para atrair mais clientes interessados em alugar imóveis. Com o seguro-fiança o inquilino ganha em agilidade na aprovação da sua proposta de aluguel, pois não há a necessidade de envolver terceiros na negociação, e o proprietário conta com uma garantia real de recebimento.

A modalidade é válida para imóveis residenciais e não dispensa a análise do perfil do inquilino, que deve ser aprovado pela seguradora.