Online, e-commerce, delivery...

Crise do coronavírus impõe Natal mais digital de todos os tempos

Lojas físicas também devem se preparar para vender online
Lojas físicas também devem se preparar para vender online (Foto: Arquivo ABr)

2020. Ano da pandemia do novo coronavírus. Ano de mudanças no comportamento e na rotina da população, que teve de se adaptar e incorporar as medidas de prevenção à Covid-19. Com tantas transformações, inevitável que mesmo as tradições mais arraigadas acabem sendo impactadas. Não à toa, a expectativa para este ano é de um Natal diferente, mais digital – provavelmente o mais digital de todos até hoje.

Segundo o Sebrae, mesmo com a reabertura dos estabelecimentos comerciais e o retorno do atendimento presenciais, os empresários devem pensar estratégias de vendas que contemplem os clientes que vão optar pelas compras online. Não é para menos: segundo pesquisa da empresa de mídia programática Teads, 82% dos brasileiros devem comprar presentes no Natal, sendo que a maioria (55%) tem a intenção de fazer as compras tanto em lojas online como em lojas físicas e 21% fará as compras apenas via e-commerce. O porcentual é superior aos 20% que farão as compras de final de ano exclusivamente em lojas físicas e se soma ainda aos 4% da população que fará as compras de forma online, mas retirará os produtos em loja física.

De acordo com gerente de relacionamento com o cliente do Sebrae, Enio Pinto, o otimismo do comércio para as vendas do final do ano já começou com a Black Friday, marcada oficialmente para a próxima sexta, 27 de novembro. Segundo ele, 2020 pode ser considerado o ano do comércio online. “Os consumidores digitais vieram com tudo e mesmo quem tinha receio de comprar online, enxergou esse modelo como uma alternativa para continuar o consumo em meio à pandemia”, analisou.

Para além do consumo, entretanto, as próprias formas de se festejar o período natalino tiveram de ser adaptadas nestes tempos de pandemia. Em Curitiba, por exemplo, os shoppings Estação e Jardim das Américas deixaram o Papai Noel em home office, realizando encontros virtuais com as crianças que forem visitá-los. Além disso, outros profissionais que costumam dar vida ao Bom Velhinho nesta época do ano também estão apelando para o virtual, com encontros pelo Zoom, lives no Instagram e chamadas via WhatsApp.

Na hora de confraternizar, as vídeo-chamadas também são uma boa opção para encurtar distâncias, embora 60% dos brasileiros, conforme a pesquisa da Teads, ainda façam questão de comemorar o Natal na companhia da família e de amigos, em casa; e uma parcela dos entrevistados (7%) esteja organizando viagens em grupos para o final de ano.

Em verdade, até a tradicional campanha dos Correios, que há mais de 30 anos estimula as crianças a escreverem cartas e propaga os valores natalinos de solidariedade e esperança, teve de se adaptar. Neste ano, as cartinhas com os pedidos serão recebidas prioritariamente de forma digital, ao passo que a adoção dessas mesmas cartinhas será 100% online e digital, por meio do Blog do Papai Noel dos Correios (https://blognoel.correios.com.br/app/index.php).

A entrega dos presentes acontecerá presencialmente, mas sempre com atenção especial aos protocolos de segurança, como o uso de máscaras, e evitando aglomerações. É possível consultar os pontos de entrega - unidades dos Correios - no blog da campanha.

Sebrae dá dicas para alavancar vendas no final de ano
Gerente de relacionamento com o cliente do Sebrae, Enio Pinto alerta para que os empresários fiquem atentos aos legados da pandemia na hora de planejar as vendas natalinas. Para orientar os donos de pequenos negócios que estão pensando em incrementar as ações na temporada, ele deu cinco dicas de estratégias de vendas.

A primeira delas é oferecer soluções rápidas para as necessidades de seus clientes, por exemplo criando pequenas listas com sugestões de presentes. A outra é aliar o aumento de lucros à oportunidade de fidelizar a clientela por meio de uma experiência de compra, com investimento em atendimento e uma experiência de compra diferenciada, com catálogos virtuais com os produtos por meio do WhatsApp e serviço de entrega direta para o presenteado com cartões personalizados.

Outra forma de se destacar é criando condições de pagamento atrativas e oferecendo boas oportunidades, com descontos e ofertas para estimular o consumo. Investir na decoração temática, incorporando o espírito natalino em sua loja física e mostrando a decoração nas redes sociais, também pode ser outra forma de atrair o público. Por fim, invista na capacitação de seus funcionários sobre a empresa e serviços, garantindo maior agilidade no atendimento para não deixar o consumidor insatisfeito.

Curva de contágio volta a subir. Vai ter festa?
Logo agora, quando as festas de final de ano se aproximam, a curva de contágios pelo novo coronavírus voltou a ter uma subida significativa em Curitiba. O cenário impõe a necessidade de ainda mais cuidados, além daqueles já conhecidos do grande público, como uso de máscara e reforço da higiene com medidas como a limpeza das mãos com álcool em gel.

Primeiramente, é importante ressaltar que, até ter uma vacina ou outra forma de enfrentar a Covid-19, a população terá que conviver com cuidados, distanciamento e evitando aglomerações. Por isso, explica o médico infectologista Moacir Pires Ramos, é importante considerar algumas coisas na hora de planejar a reunião familiar.

“Dicas para fazer isso: poucas pessoas. Não tem um número mágico, mas um número de pessoas que dê para ficar bem distante. Use máscara. Pessoas que não convivem no mesmo ambiente têm que estar de máscara, infelizmente. Ambientes abertos, com renovação de ar, são preferíveis”, comenta o doutor Ramos, reforçando ainda que qualquer pessoa com sinais de resfriado ou gripe deve se ausentar desses eventos.