Sanepar

Crise hídrica amplia rodízio de água na região de Curitiba

Obra de captação de água da Sanepar, em São José dos Pinhais
Obra de captação de água da Sanepar, em São José dos Pinhais (Foto: Divulgação/Sanepar)

A Sanepar terá que iniciar nesta segunda-feira (18) um novo sistema de rodízio no fornecimento de água em Curitiba e municípios da região metropolitana da capital.

Além de incorporar novas localidades, a mudança prevê também a antecipação do horário inicial do rodízio para as 16 horas, com a escala de encerramento prevista para o mesmo do dia seguinte, e um período de até 12 horas para normalização.

As mudanças ocorrem em função do agravamento da crise hídrica no Estado, com a frustração da expectativa de chuvas na última semana, e também ao cumprimento do decreto estadual 4626/20, que instituiu Situação de Emergência Hídrica em todo o Paraná por 180 dias.

A análise técnica diária continuará sendo mantida pela Sanepar para definir outras ações de mitigação da seca severa, incluindo novos mecanismos de captação de água e até mesmo a antecipação de obras que melhoram a performance do sistema. 

Veja a tabela em anexo.

CAPTAÇÃO EMERGENCIAL - A Sanepar iniciou mais uma obra de captação emergencial de água, em São José dos Pinhais, para mitigar os efeitos da estiagem. A instalação de uma bomba flutuante em lagoa formada em uma pedreira na cidade deve incorporar 100 litros de água por segundo ao sistema.

A ligação será da lagoa da Pedreira Malhada até um afluente do Rio Miringuava, que abastece a Região Metropolitana de Curitiba. Serão 600 metros de tubulação. A obra teve início nesta quinta-feira (14), com operação prevista até o fim da próxima semana.

Sem chuvas significativas há 10 meses, a vazão do Rio Miringuava caiu de 1000 litros/segundo para 200 l/s, o que tem sido insuficiente para abastecer a população. Em março, o Miringuava já estava com queda de 60% na vazão.

Para atender localidades mais altas de São José dos Pinhais, por exemplo, a Sanepar tem injetado água com caminhões-pipa diretamente na rede de distribuição. Na quarta-feira, foram 104 mil litros de água e, na sexta, foi feito novamente este reforço.

Além disso, a Sanepar está contratando mais duas transposições – do Rio Pequeno e do Rio Miringuava Mirim – que vão aduzir mais 300 litros/segundo no Miringuava. O prazo previsto é que essas duas novas captações entrem em operação em 45 dias.

No início do mês, a Sanepar também implementou captação emergencial de água de cavas de areia para reforçar abastecimento em Fazenda Rio Grande.