Assine e navegue sem anúncios [+]
Pandemia do coronavírus

Curitiba tem recorde de casos e ocupação de UTIs atinge 95%; pode haver novo decreto nesta sexta

Novos leitos de UTI podem ser abertos em Curitiba, mas tudo tem limite
Novos leitos de UTI podem ser abertos em Curitiba, mas tudo tem limite (Foto: Renato Próspero/SMCS)

Curitiba registrou nesta quinta-feira (16) recorde de casos do novo coronavírus em moradores da Capital confirmados em um único boletim. Foram mais 768 infectados, totalizando até ontem 12.158 casos confirmados. Além disso, também foram adicionadas mais 11 mortes pela doença, totalizando 310 casos. E a ocupação de UTIs exclusivas para Covid-19 chegou a 95%. Nesta sexta-feira (17), a Prefeitura deve divulgar um novo decreto com normas gerais para o funcionamento das atividades.

Nesta semana, o governo do Estado decidiu não renovar o decreto da quarentena mais restritiva em vigor desde 1º de julho, deixando para as prefeituras a tarefa de conduzir esta questão. A Associação dos Municípios da Região Metropolitana (Assomec) recomendou a flexibilização das atividades. A recomendação já foi seguida por praticamente todos os membros da associação, à exceção de Curitiba.

Por isso a expectativa quanto ao que será definido para a Capital hoje ou nos próximos dias. No momento em Curitiba vale o decreto que instituiu a bandeira laranja, que permite o funcionamento de parte das atividades em horários diferenciados. A maior expectativa é quanto às chances de mudança de bandeira, no caso a vermelha, que significa restrições mais agudas.

UTIs
Nesta quinta-feira, Curitiba atingiu o maior índice de ocupação de leitos de UTI exclusivos para a Covid-19. O índice chegou a 95% de leitos para adultos na noite de ontem. Até a tarde de ontem, a Capital tinha 313 leitos de UTI exclusivos para a Covid-19, mas poderia abrir mais conforme a necessidade, explicou a infectologista da Secretaria de Saúde, Marion Burger.

Na Grande Curitiba a situação também era preocupante. Na noite de ontem, sete dos 12 hospitais com leitos exclusivos para Covid-19 estavam lotados. Nos que ainda tinham vagas, eram poucos os leitos ainda disponíveis. Da mesma forma, a Secretaria de Estado da Saúde diz que pode adicionar novos leitos em caso de extrema necessidade.

Em um dia, Paraná registra 2.263 novos casos da doença, que avança no interior

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou, nesta quinta-feira , 2.263 novos casos e 46 mortes pela infecção causada pelo novo coronavírus. O Paraná soma 48.863 casos e 1.227 mortos em decorrência da doença. Eram 1.010 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estavam internados ontem. 808 pacientes em leitos SUS (334 em UTI e 474 em leitos clínicos/enfermaria) e 202 em leitos da rede particular (63 em UTI e 139 em leitos clínicos/enfermaria).

Há outros 1.035 pacientes internados, 497 em leitos UTI e 538 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo vírus Sars-CoV-2.

Até esta quinta-feira , eram 384 cidades paranaenses com ao menos um caso confirmado pela Covid-19. Em 199 municípios há óbitos pela doença. O Paraná tem no total 399 cidades. Com isso, apenas 15 estavam se nenhum caso da doença, pelo menos até ontem. No começo da semama eram 21.

Ação do MP-PR pede que Paraná retome restrições mais severas

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) reitera requerimento para que Estado adote medidas eficazes para o controle da pandemia de coronavírus no Paraná. Os promotores de Justiça responsáveis pela área de Proteção à Saúde Pública nas quatro macrorregiões do Paraná (Leste, Oeste, Norte e Noroeste) reiteraram ontem uma ação civil pública já ajuizada no final de junho. Essa ação pede para que a Justiça determine, entre outras medidas, a invalidação de atos normativos do Estado do Paraná que contribuíram para o funcionamento de atividades comerciais tidas como não essenciais — pelo menos enquanto durar o estado de emergência em saúde pública decretado em decorrência da pandemia de Covid-19.

A medida foi adotada em função do anúncio feito pelo Estado de não renovar o Decreto Estadual 4.942/20, que fixava uma quarentena mais restritiva, e que tever duração de 1º de julho a 14 de julho, não sendo renovada.

O Ministério Público do Paraná ressalta no requerimento que tal decisão “opõe-se ao bem comum, à dignidade, à proteção da saúde e da vida dos paranaenses, contrastando nítida e indevidamente com a gravidade e seriedade do impacto sanitário ocasionado pelo coronavírus”.

Os promotores lembram ainda que, até meados de abril, o Paraná vinha adotando regras que o colocavam como referência nacional em prevenção à contaminação pelo coronavírus. Posteriormente, entretanto, as medidas foram sendo relaxadas, a partir de normativas do Estado do Paraná e dos municípios, de modo que atualmente atividades comerciais não essenciais estão com seu funcionamento próximo da normalidade.

Igrejas — Enquanto o MP-PR pede a retomada da quarentena, as igrejas evangélicas fazem pressão para poderem retomar os cultos presenciais em Curitiba com capacidade de 30%. nesta semana representantes das igrejas de várias denominações entregaram um documeto na Prefeitura com essa demanda. Desde a implantação da bandeira laranja está suspenso os cultos presenciais em igrejas da Capital.

Boletim do coronavírus

Brasil acumula mais de 2 milhões de casos
O Ministério da Saúde divulgou nesta quinta-feira que o novo coronavírus atingiu 2.012.151 de pessoas no Brasil desde o início da pandemia. Desse total, 1.296.328 pacientes conseguiram se recuperar e 76.688 brasileiros morreram. Entre a quarta-feira e esta quinta-feira, o País registrou 45.403 novos casos da doença e confirmou mais 1.322 óbitos.

Assine e navegue sem anúncios [+]

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. OK