Publicidade
Prêmio

Curitibano é um dos finalistas do European Inventor Award 2018

Alex Kipman.
Alex Kipman. (Foto: Divulgação/Facebook)

Em um futuro próximo, a computação móvel pode não ser mais em smartphones conectados à internet, mas sim em óculos de dados que combinam imagens do mundo real com informações digitais. Engenheiro de software e inventor de hardware, o brasileiro Alex Kipman desenvolveu um fone de ouvido alimentado por computador e dotado de lentes holográficas para uma experiência imersiva de "realidade mista". Em contraste com a tecnologia de realidade virtual, que substitui o mundo físico por um ambiente totalmente simulado, seu fone de realidade mista combina visões do mundo real com camadas de informação digital, incluindo imagens holográficas percebidas pelo olho humano como objetos reais no espaço. Ao transformar a forma como os usuários podem interagir e trabalhar com conteúdo digital e acabar com a necessidade de olhar para uma tela, o "HoloLens" do Kipman permite aplicações como cirurgias assistidas por computador, teleconferência holográfica e navegação guiada. Por esta conquista, Alex Kipman foi indicado como finalista do European Inventor Award 2018 na categoria de países que não são cobertos pelo Escritório Europeu de Patentes (EPO). Os vencedores do prêmio anual de inovação do EPO serão anunciados em uma cerimônia em Paris, em 7 de junho de 2018. "A invenção de Alex Kipman é uma visão para o futuro da computação e tem o potencial de mudar a forma como nos conectamos e colaboramos", destaca o presidente da EPO, Benoît Battistelli ao anunciar os finalistas do European Inventor Award 2018. "Suas ideias estão ajudando o mundo real com informações digitais para as pessoas alcançarem níveis mais altos de eficiência e a criar novas oportunidades em áreas como engenharia, comunicações e saúde". Combinando os mundos real e digital O inventor brasileiro tem um grande histórico em inovação, pois desenvolveu o controlador de movimento “Kinect” para o sistema de videogame Xbox, que bateu o recorde mundial do Guinness Book para o dispositivo eletrônico de venda mais rápido, quando foi lançado em 2010. Kipman avançou a partir deste sucesso com o HoloLens: o fone de ouvido, comercializado pela Microsoft, oferece aos usuários um campo de visão completo, no qual objetos gerados por computador - como uma bola ou uma imagem 3D de uma pessoa - se combinam perfeitamente com a realidade. Em comparação com outros dispositivos de realidade mista (também conhecidos como “realidade aumentada”) atualmente disponíveis, a invenção de Kipman difere em três aspectos principais. Primeiro, o HoloLens é autônomo, com processadores embutidos, não exigindo conexão externa a smartphones ou PCs. Em segundo lugar, substitui os monitores bidimensionais por imagens holográficas 3D para experiências realistas de "realidade mista". E, terceiro, elimina controles físicos, como teclados, game pads ou telas sensíveis ao toque. Em vez disso, os usuários podem interagir com objetos digitais em seu campo de visão por meio de gestos e comandos de voz. Alex Kipman inventou um dispositivo que torna possível a computação holográfica: o headset sobrepõe elementos gráficos sobre o cenário natural, mesclando a realidade com objetos gerados por computador, como uma bola ou imagem 3D de uma pessoa e, permitindo que usuários de headset manipulem esses objetos também. As lentes dos headsets são transparentes e os hologramas são vistos através de um quadro no meio da visualização do usuário. Isso preserva a visão periférica, o que significa que as pessoas que usam o headset podem continuar a interagir livremente com o ambiente ao seu redor. "A magia do HoloLens é que ele pode fixar hologramas em seu mundo com mais precisão e realidade do que nunca", diz o inventor. Graças ao aprendizado de máquina integrado e aos algoritmos de inteligência artificial, o fone de ouvido é contextualmente ciente de seu ambiente e capaz de interpretar comandos do usuário, como "mover essa cadeira". Ele observa seus arredores por meio de uma unidade de medida inercial (um dispositivo que mede movimento linear e angular), uma câmera com sensor de profundidade, uma câmera de vídeo de 2,4 megapixels, quatro microfones e um sensor de luz ambiente para "saber" qual cadeira o usuário está vendo no momento. Ele coleta vários terabytes de dados a cada segundo, canalizados por sensores e depois computados. O HoloLens deve sua vantagem inovadora às lentes waveguide, alimentadas por uma unidade de processamento holográfico integrada, que "engana" o cérebro humano para interpretar sinais de luz como hologramas sólidos em 3D. Esse holograma é calculado no processador e exibido via os "motores de luz" do dispositivo, com dois monitores de cristal líquido em silício (LQoD). "É uma experiência em que o conteúdo não está mais vinculado a uma tela, mas existe no tempo e no espaço, no mundo real", diz Kipman. Hologramas e aplicativos do mundo real: mais do que entretenimento O HoloLens incorpora várias invenções da Microsoft protegidas por patentes, incluindo os sensores de movimento de Kipman inicialmente lançados no mercado para o controlador de videogame Xbox Kinect. Falando sobre o papel da propriedade intelectual e da proteção de patentes, Kipman diz: "Desenvolver um produto desta natureza [como o HoloLens] não pode ser feito na garagem. Porque requer um nível de investimento e paciência e pesquisa básica de longo prazo". O software para o HoloLens é desenvolvido no sistema operacional Windows 10 no ambiente de software Windows Mixed Reality. As aplicações atuais do dispositivo incluem telecomunicações (por exemplo, chamadas de vídeo avançadas), um aplicativo de turismo virtual em 3D e um conjunto de jogos de realidade mista, assim como usos industriais para medição e controle de qualidade e anatomia humana digital interativa e uma série de novas aplicações promissoras estão sendo desenvolvidas ainda. Em 2017, uma equipe espanhola de cirurgiões usou com sucesso o headset de realidade mista enquanto operava um paciente com um tumor muscular maligno. Durante o procedimento, os cirurgiões foram capazes de visualizar ao vivo imagens de diagnóstico de dados de ressonância magnética e radiografia, sem tirar os olhos do paciente. Os HoloLens podem liderar uma mudança importante à medida que os dispositivos de realidade mista substituirem os smartphones de hoje como os principais dispositivos de comunicação. De acordo com especialistas da empresa de pesquisa de mercado Gartner, 30% das sessões de navegação na web poderiam ser feitas sem uma tela até 2020. Nesse ponto, 50% de todas as consultas de pesquisa poderiam se originar não de teclados ou telas sensíveis ao toque, mas de comandos de voz, à medida que a computação se move para uma era além das telas. Criando um mercado mundial em expansão Os analistas prevêem um crescimento maciço da indústria de realidade mista. O mercado mundial para dispositivos de realidade virtual e mista valia cerca de 3 bilhões de euros em 2016, mas impulsionado pela próxima geração de hardware de realidade mista móvel como o HoloLens, espera-se alcançar 87 bilhões de euros até 2021 (realidade mista dominando com 67 mil milhões de euros contra 20 bilhões de euros para a realidade virtual), segundo a empresa de consultoria Digi-Capital. Os principais impulsionadores da ascensão da tecnologia de realidade mista incluem, por exemplo, a demanda do consumidor por conselhos pessoais durante as compras - a expectativa é que mais de 100 milhões de pessoas realizarão suas compras com a assistência da tecnologia até 2020. Até o momento a Microsoft vendeu cerca de 50 mil unidades da HoloLens para desenvolvedores de software e clientes comerciais. E suas parcerias estratégicas de desenvolvimento com empresas como Lowe, Case Western Reserve University, Boeing, Saab e Volvo visam “semear” o mercado de produtos de realidade mista. Uma vez que a empresa desenvolva uma atraente biblioteca de programas e aplicativos, e à medida que a tecnologia de realidade mista passe do segmento premium ao consumidor, esses títulos podem se juntar ao seu próprio aplicativo de teleconferência 3D, no qual os participantes vêem imagens realistas das pessoas com quem estão falando. Outra aplicação promissora da tecnologia HoloLens pode ajudar a reduzir as barreiras da linguagem ao fornecer tradução ao vivo de textos escritos e palavras faladas como legendas holográficas. Paixão pelo software de computação Nascido em Curitiba, Alex Kipman se apaixonou pela programação de software ainda jovem, quando começou a jogar videogames Atari aos 6 anos de idade. "O software é a única forma de arte na terra não limitada pelas leis da física ", diz Kipman. "No software, você está limitado apenas pelos limites de sua imaginação." O inventor iniciou sua carreira profissional na Microsoft, em Redmond logo após se formar no Rochester Institute of Technology em 2001. Em uma carreira de mais de 15 anos como desenvolvedor da empresa, ele foi nomeado o principal inventor em mais de 150 patentes norte-americanas e asiáticas, bem como duas patentes europeias concedidas e tem mais de uma dúzia de pedidos de outras patentes. Sua posição atual como Membro Técnico do Grupo de Dispositivos e Windows permite que ele mantenha uma abordagem prática para a construção da plataforma de software HoloLens e da plataforma de realidade mista Windows. Kipman recebeu o prêmio Popular Mechanics Breakthrough Award (2009), o prêmio Microsoft Outstanding Technical Achievement Award (2012) e o prêmio Inventor of the Year da IPO Education Foundation (2012). E, também recebeu a honra de ser considerado um dos 25 melhores "Nerds of the Year" da revista TIME (2010), um epíteto que ele usa com orgulho. Em seu tempo livre, o futurista apaixonado gosta de se recolher para a simplicidade da fazenda sem internet de sua família no interior do Brasil. Desconectado de dispositivos digitais, ele procura experiências ao ar livre da vida real com sua esposa e filha, que é também onde o conceito de seus óculos inteligentes se originou: "Minhas idéias sobre computação no real mundo vêm do fato de que eu não moro em um laboratório, mas gosto de passar meu tempo na natureza.” Alterando a face da mídia: Alex Kipman prevê um mundo em que os smartphones são substituídos por dispositivos de realidade mista como o HoloLens.Esta visão de mudança de indústria coloca o inventor na companhia de outros vencedores e finalistas do European Inventor Award, cujas inovações alteraram fundamentalmente as formas como interagimos com som, vídeo e texto. Joseph M. Jacobson e Barrett Comiskey ajudaram a desenvolver os displays de tinta eletrônica que deram início à revolução do e-reader. Os transistores de papel de Elvira Fortunato e Rodrigo Martins mostraram que cartazes e papéis animados podem estar na esquina. Codificação Blu-ray da Kornelis A. Schouhamer Immink transferiu o vídeo e a música da era analógica para a era digital, e o Codex MP3 de Karlheinz Brandenburg permitiu que a música fosse armazenada em nossos smartphones e players portáteis. É difícil dizer onde nossa mudança de relacionamento com a mídia nos levará, mas a realidade mista provavelmente fará parte da jornada.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES