Publicidade
Proteção

Apos declaração de ministro, curitibanos correm atrás das máscaras de pano

(Foto: Andre Rodrigues)

Após o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta recomendar o uso de máscaras, principalmente aquelas feitas de pano, os curitibanos começaram a correr atrás da suas. A costureira Rita de Fátima Souza França, 53 anos, que andava sem trabalho por causa da quarentena causada pela pandemia de coronavírus, viu as encomendas de máscaras crescerem nos últimos dias. Ela está cobrando R$ 5 pelas de tecido e R$ 2 pelas de TNT. “Isso porque só meus amigos e clientes estão divulgando que eu faço máscaras”,  contou ela à reportagem do Bem Paraná. “Não estou vencendo tantas encomendas, porque as pessoas encomendam mais de uma”.

Nesta quinta-feira (2), o ministro pediu que a população faça a própria máscara e pare de buscar  máscaras cirúrgicas “É na unidade de saúde que tem de ter (as cirúrgicas). Acho que máscaras de pano para os comunitários (população) funcionam muito bem como barreira. Não é caro de fazer, faz você mesmo e lava com água sanitária”, disse o ministro. “Tenha quatro ou cinco máscaras dessas, lave com água sanitária. Agora, é lutar com as armas que a gente tem. Nós vamos ter de criar as nossas armas e serão aquelas que nós tivermos”, disse ele.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES