Repercussão

Depois de 'brincadeira' de mau gosto com criança, MC Gui começa a perder contratos

(Foto: Divulgação)

Por conta da 'brincadeira' feita por MC Gui na Disney, o cantor começa a perder contratos. A loja Black Nine California, que vendia produtos licenciados do artista, informou nesta terça (22) o rompimento com o cantor. "Informamos que a partir de hoje não venderemos mais a marca do Gui (MC Gui). Nós não compactuamos com qualquer tipo de preconceito, muito menos quando se trata de uma criança", escreveu a loja em seu Instagram oficial.

A escola de idiomas CNA em Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, cancelou o show que o cantor faria no dia 31 de outubro. "Foi solicitado o cancelamento do show do cantor MC Gui. Reforçamos que qualquer situação que vá contra nossos princípios em nenhuma hipótese é aceita", publicou a escola.

A prefeitura de Cambuquira, em Minas Gerais, também cancelou um show do cantor. Na nota, a prefeitura de Cambuquira (MG) comunicou que o evento previsto para o dia 2 de novembro não será realizado.

MC Gui está em Orlando na Disney e resolveu postar um vídeo sobre a viagem. Até aí tudo normal, só que o cantor não esperava era receber a enxurrada de críticas por conta de uma "brincadeira". Nas imagens, ele está dentro do ônibus do parque e debocha de uma menina no final do veículo. O cantor ri com os amigos e comenta sobre a aparência da menina, que fica visivelmente constrangida com a situação. Diante da repercussão negativa, o cantor tratou de apagar o vídeo. Mas já era tarde.

Cláudia Baronesa, mãe de Mc Gui, resolveu pedir desculpas ao público em nome do filho e da família, após o cantor receber um enxurrada de críticas por conta de uma 'brincadeira' feita com uma criança na Disney, que os internautas acabaram entendendo como bullying mediante o constrangimento da menina filmada pelo cantor. "Em nome da família e do meu filho Guilherme, peço desculpas por tudo", escreveu a matriarca em no Instagram.


Mais cedo, Mc Gui gravou um vídeo na tentativa de esclarecer os fatos através de um desabafo publicado em vídeo nas suas redes sociais.

"O assunto repercutiu de forma injusta. Vários portais divulgaram dizendo que eu estava fazendo bullying com uma criança que estava no trem. Eu encontrei uma família fantasiada para curtir o Halloween na Disney, eles estavam como personagens do 'Monstros S.A' e eu achei aquilo incrível, algo que eu nunca tinha visto em outro lugar. Então eu fiz um vídeo. Em todo momento eles estavam daquela forma que eu mostrei. Eles não viram o vídeo e se sentiram constrangidos. Em momento algum eu pensei em fazer isso para atacar alguém ou fazer bullying, principalmente com uma criança. Não sou uma pessoa de má índole, tenho família. A todos os artistas e influenciadores, é mais bonito me dar conselho, me ajudar. Não acho legal distribuir ódio na internet", disse o funkeiro.

No twitter, a hashtag #JullyPrincessInDisneyworld criada por brasileiros pede que a Disney dê um dia VIP no parque à menina por conta do constrangimento que ela enfrentou. A tag já é um dos assuntos mais comentados da plataforma.