Programa Feito no Paraná

De café a computadores: veja lista de 30 produtos feitos no Paraná

Prateleiras dos supermercados estão repletas de produtos paranaenses
Prateleiras dos supermercados estão repletas de produtos paranaenses (Foto: Franklin de Freitas)

O preço costuma ser o fator determinante quando o consumidor escolhe um produto no supermercado, na loja de móveis, de roupas, na loja de material de construção. Pouca gente sabe, no entanto, que se optar por produtos do Paraná estará ajudando a economia do Estado a girar. Um dos impactos seria na valorização das empresas daqui, possibilitando uma recuperação das vendas e, assim, acelerando o processo de retomada do mercado de trabalho. Além disso, também haveria um estímulo à arrecadação de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), uma das principais fontes de receita do Estado, o que possibilitaria um incremento na prestação de serviços públicos/sociais. E é pensando nisso tudo que o Governo do Estado, por meio da Secretaria do Planejamento e Projetos Estruturantes, criou recentemente o programa “Feito no Paraná”, cujo objetivo é justamente estimular a valorização e a compra de mercadorias paranaenses.

“Fizemos estudos e identificamos que boa parte do que é consumido no Paraná vem de outros estados, até de outros países, mas são produtos que já produzimos aqui ou poderíamos começar a produzir”, explica o secretário Valdemar Bernardo Jorge. “Mostrando o valor da nossa produção, vamos conseguir atender outros estados. Se melhorar a qualidade, a rentabilidade dos produtos, vamos fortalecer nossa indústria para atender a demanda local e internacional. Essa é a nossa grande missão, aproveitar nossas vocações, tudo o que já temos, para ajudar o mundo”, finaliza.

Na hora do churrasco, marcas como Coopavel, Alegra e Copacol são opções recorrentes. Se a opção for por peixe, os produtos da C. Vale são uma opção. E se for peixe frito ou cozido, ainda dá para usar os óleos da Coamo e da Cocamar, as panelas e frigideiras da Panelux e da MTA e os fogões da Atlas Eletrodomésticos. Para facilitar a vida do consumidor, a reportagem do Bem Paraná separou 30 produtos produzidos no Estado, desde alimentos à produtos de informática.

Como funcionará o programa ‘Feito no Paraná’

Para ajudar os paranaenses na tarefa de reconhecer os produtos locais, fornecendo mais elementos para o processo de tomada de decisão, o programa Feito no Paraná iniciou nesta semana a distribuição de 20 mil kits para micros, pequenas, médias e grandes empresas. A ideia, então, é que nas prateleiras sejam colocados selos, identificando e destacando os produtos daqui.

Para além da valorização dos produtos locais, contudo, também está sendo formado um grupo técnico de trabalho, com a participação de entidades como Fecomércio, Fiep, Associação Brasileira Paranaense de Supermercados, ACP, Ocepar, Sesc e Sebrae, Conselho de Desenvolvimento Empresarial e de Infraestrutura do Paraná, Fetranspar, Faep e Faciap, entre outras instituições. “Queremos realmente trazer essas entidades para dentro do governo, para que possam ajudar a construir esse programa”, afirma secretário de Planejamento e Projetos Estruturantes, Valdemar Bernardo Jorge.

Por fim, há ainda a intenção de ampliar e melhorar o diálogo e o intercâmbio entre as universidades e o setor produtivo por meio da realização de pesquisas aplicadas com o intuito de fortalecer a indústria paranaense. “É um programa que caminha em paralelo e visa aumentar a capacidade de produção, a qualidade dos produtos, e também apresentar novas oportunidades às pessoas que estão saindo da universidade, colocando o jovem para trabalhar com pesquisa”, comenta ainda o secretário.

Vocações regionais destacam a ‘fauna econômica’ do estado

O Paraná é o celeiro do Brasil. Mas não apenas isso. A variedade na ‘fauna econômica’ do estado é grande, com vocações diversas em cada região. Castro, por exemplo, é a Capital Nacional do Leite, como já citado. Mas é também a sede da maior empresa de calcário do Brasil, a Calpar. Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), é uma das maiores produtoras de cerâmica profissional, utilizada em restaurantes e bares, com marcas como a Germer Porcelanas e a Porcelana Schmidt. No Noroeste do Paraná, em Palmas, fica a Panelux, maior produtora nacional de panelas de pressão. E no mesmo município há ainda a Guarapes, uma das maiores produtoras de painéis em MDF no Brasil e uma das maiores exportadoras de painéis compensados da América Latina.

Produtores do Paraná comemoram alta de 29% na venda de queijos

Por muito tempo, inclusive, utilizou-se o termo 'arranjos produtivos locais'. Hoje, no entanto, já se fala mais em vocações, considerando justamente que, numa mesma região, há mais de um polo produtivo de expressão. Na RMC e Campos Gerais, por exemplo, destacam-se a cal, o calcário e a produção cerâmica. Na região norte, a indústria têxtil apresenta uma vocação diferente daquela da região sudoeste, com malharias, empresas de jeans, moda feminina, os famosos bonés de Apucarana que ainda dividem espaço na região coma produção de Mandioca em Paranavaí, a produção de metais sanitários em Loanda e a de equipamentos médicos em Campo Mourão.

Outro ponto importante é que todo o entorno desses polos produtivos acaba sendo impactado, com o surgimento de fornecedores de matéria-prima nas redondezas e maiores investimentos em capacitação profissional voltada para determinada área, a fim de atender as necessidades da produção local. Na prática, então, toda a região acaba se adaptando e isso vai gerando empregos, havendo situações, por exemplo, em que uma determinada empresa gera 500 empregos de forma direta, mas outras milhares de vagas indiretamente.

Moda 'petite' em Curitiba

Na capital paranaense, uma marca que se destaca é a 163 Moda, que trabalha com o segmento petite, para mulher de até 1,63m, com venda online de roupas femininas. Além das donas (Ana Vilas Boas e Virginia Pilati) serem curitibanas, todas as coleções são produzidas também em Curitiba, com o lançamento de duas coleções por ano, com aproximadamente 20 peças cada uma.

A label oferece uma variedade de tamanhos petite que vão do 34 ao 46 e todas as peças são comercializadas digitalmente ou através do delivery. As interessadas podem conhecer mais sobre o trabalho e coleções da marca pelo e-commerce www.163moda.com.br e as sócias ainda oferecem o serviço exclusivo de envio de fashion delivery, no qual uma maleta de roupas é enviada para a casa das clientes experimentarem e conhecerem as peças sem compromisso.



30 produtos feitos no Paraná


UTENSÍLIOS DOMÉSTICOS

Porcelanas de Campo Largo (como as das marcas Germer e Schimidt)

Panelas da marca Panelux

LATICÍNIOS

Leites e derivados da marca Colônia Holandesa

Leites e derivados da marca Latco

CARNES E FRIOS

Carnes, presuntos, defumados, salames, linguiças e feijoada da marca Alegra

Frango congelado, presunto e lombo da tipo canadense da marca Coopavel

Peixe, frango e outros congelados da marca C. Vale

Aves, peixes, empanados, linguiças, frios e salsichas da marca Copacol

BEBIDAS

Sucos Purity

Café Maringá

Café Coamo

Café Sollus

Café Dualis

OUTROS

Bala de Banana de Antonina

Mistura para bolo e pão Coamo

Margarina Coamo

Oléo de Soja Coamo

Óleo de Soja Cocamar

Ketchup Suavit

Farinha de Trigo Cocamar

Álcool em gel Cocamar

Lasanha e escondidinho da marca Copacol

Papel higiênico, toalhas e lençóis da marca Mili

Produtos de informática Positivo

Panelas frigideiras da Panelux

Fogões da Atlas Eletrodomésticos.

Torneiras e metais sanitários das marcas Ivaí, Art, Hope, Pilotti, Fort, Capital e Talita

Caixas térmicas Sieger

Bonés Italia Milano, Kyoodai e Showa

Móveis Notável e Marel