Enfrentamento da pandemia

Decreto da bandeira laranja chega ao fim; Curitiba decide nesta quinta se a mantém ou altera

Expectativa para qual o rumo que a Capital deve seguir: restringe mais as atividades, flexibiliza ou mantém as medidas como estão
Expectativa para qual o rumo que a Capital deve seguir: restringe mais as atividades, flexibiliza ou mantém as medidas como estão (Foto: Franklin de Freitas)

Curitiba decide nesta quinta-feira (22) qual rumo seguirá e quais estratégias adotará nas próximas semanas para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. Com a expiração do Decreto Municipal 730/2021, a Prefeitura terá de anunciar ao longo do dia se permanecerá ou não em bandeira laranja (risco médio), o que significa dizer que o município terá de decidir se afrouxa, endurece ou simplesmente mantém as restrições já em vigor para controle da crise sanitária.

Anteriormente, a capital paranaense atravessou um período de 23 dias na bandeira vermelha (alto risco), entre 13 de março e 4 de abril. Na ocasião, o prefeito Rafael Greca chegou a falar em ‘lockdown’ e o funcionamento de atividades e serviços não essenciais foi suspenso, enquanto algumas atividades essenciais tiveram de funcionar em horários restritos, nalgumas situações atendendo só por delivery (caso de restaurantes, lanchonetes e lojas de materiais de construção) e/ou com horário mais restrito para funcionamento (panificadoras, mercados).

Na semana em que as medidas mais restritivas passaram a vigorar, Curitiba havia confirmado 1.234 novos casos de Covid-19 por dia, com 24 óbitos diários (entre os dias 7 e 13 de março) e ocupação (no dia 13) de 97% dos leitos UTI SUS exclusivos para Covid-19 e de 98% dos leitos clínicos.

Já na última semana (entre os dias 4 e 10 de abril), o município viu o número de casos cair pela quinta semana consecutiva, com 581 diagnósticos diários.

A média de óbitos, porém, aumentou em relação à semana anterior, passando de 30 para 32. Além disso, até a última terça-feira a taxa de ocupação das UTI SUS era de 93% e das enfermarias, de 84%.

Desde que retornou à bandeira laranja, em 5 de abril, Curitiba permitiu que escritórios em geral, salões de beleza, barbearias, galerias, centros comerciais e academias voltassem a funcionar, além de ter ampliado o horário de funcionamento de atividades como restaurantes e lanchonetes (que também puderam voltar a atender presencialmente) e panificadoras e de ter voltado a permitir a prática de atividades individuais ao ar livre nos parques e praças do município.

Já no decreto 730/2021, publicado no dia 14 no Diário Oficial, a cidade manteve a bandeira laranja e também o toque de recolher, mas já flexibilizou algumas restrições, ampliando o horário de funcionamento de algumas atividades essenciais e outras não essenciais e permitindo, por exemplo, a realização de eventos esportivos, como partidas de futebol do Campeonato Paranaense.