Publicidade
Prevenção

Defesa Civil treina servidores de creches de Curitiba para agir em situação de risco

(Foto: Divulgação/SMCS)

Diretores dos Centros de Educação Infantil (CEIs) contratados pela Prefeitura foram o público da mais recente capacitação ministrada pela equipe técnica da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil, nesta quarta-feira (5/9). A proposta foi de disseminar informações para que, em uma situação de acidente ou desastre, cada integrante da comunidade escolar saibao que fazer desde os primeiros instantes, a partir de protocolos de ação.

O treinamento abordou situações diversas, como desabamento, alagamento, tiroteio, ataque de abelhas, incêndio, primeiros socorros e reforço dos números de telefones de emergência a serem acionados em cada caso. “A proteção e defesa civil como conteúdo complementar ou como atividade extracurricular faz com que a comunidade escolar tenha conhecimento sobre os riscos a que está sujeita”, afirma o chefe de planejamento da Defesa Civil de Curitiba, Marcelo Santos.

A partir da atualização de conteúdos aos educadores, a Defesa Civil organiza simulados periódicos com toda a comunidade escolar. E não tem idade mínima para que o conhecimento comece a ser aplicado. “Percebemos que, com o treinamento, crianças muito novas adquirem a percepção do que fazer e como fazer em uma situação extrema”, aponta o chefe de operações do órgão, Rodrigo Alípio, que também ministrou o curso com o coordenador da Defesa Civil, Nelson Ribeiro.

“No caso das creches, sugerimos exemplos para que os responsáveis pela parte pedagógica possam trabalhar de forma lúdica, para auxiliar com rapidez nos momentos necessários”, acrescenta Alípio.

Com 168 crianças e 47 funcionários, o Lar Escola Dr. Leocádio Correia, no Santa Cândida, é um dos que passa pelos simulados periodicamente. “Por lá, todo mundo sabe como proceder e como manter a tranquilidade caso alguma situação aconteça”, diz a diretora da unidade, Regina Perna.

O diretor Edgar Rogério Gusso Bozza, da creche Assistência ao Menor para Amparo e Recuperação (Amar), no Boa Vista, salientou a importância de se obter informações atualizadas sobre os temas, seja pela legislação ou por equipamentos mais modernos que surgem. “Sempre tem algo mais novo a aprender”, opina ele. 

Bozza conta que, dias atrás, começou a sair fumaça de uma luminária na unidade. “Os funcionários não pensaram duas vezes e usaram o extintor, como aprenderam em uma capacitação anterior”, conta. 
 
Iniciativa que deu certo

O Conhecer para Prevenir existe desde 2005. Começou com a adesão de pouco mais de 20 unidades de ensino e, hoje, faz parte da rotina de todo o sistema municipal de educação de Curitiba. Cada local tem brigadas de emergência, planos de ação para situações de risco e faz simulações periódicas.

Atualmente, cerca de 750 mil pessoas estão capacitadas, incluindo familiares de estudantes e trabalhadores dos 219 Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) ou creches, 182 escolas da Prefeitura, 75 CEIs e três escolas especiais.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES