Publicidade
Leptospirose e outras

Depois de alagamentos, Curitiba vê risco com as doenças

Águas de alagamentos trazem transtornos e riscos para a saúde
Águas de alagamentos trazem transtornos e riscos para a saúde (Foto: Franklin de Freitas)

Depois da ocorência de chuvas intensas que provocam alagamentos, como os de quinta-feira (21) em Curitiba, é preciso atenção às doenças, epecialmente a leptospirose. A doença é transmitida por uma bactéria presente na urina de rato e o risco de transmissão da doença aumenta em casos de enchentes e alagamentos.

A Secretaria Municipal de Saúde orienta que as pessoas devem se proteger do contato com a água das enchentes e alagamentos e, se possível o uso de luvas e botas ou use sacos plásticos sobre os calçados para evitar o contato da pele com a água potencialmente contaminada.

Moradores que tiveram contato com a água das chuvas devem ficar atentos aos sintomas da leptospirose e buscar atendimento médico em um posto de saúde imediatamente.

Os primeiros sintomas da doença podem ser confundidos com uma gripe. É comum a pessoa infectada ter febre, dor de cabeça, dores musculares. No avanço da leptospirose, pode aparecer a icterícia (pele amarelada). Quanto antes for feito o diagnóstico correto da doença, maiores são as chances de recuperação.

A bactéria que causa a doença, quando presente na água contaminada pela urina dos ratos, entra no organismo humano pela pele, boca e pelos olhos. É uma doença grave, com alto risco de contaminação e que, se não for tratada a tempo, pode matar.

No contato com esse tipo de água e na limpeza de áreas atingidas, o indivíduo deve procurar se proteger com botas ou luvas. Inutilize alimentos que tiveram contato com a água e limpe bem objetos que também ficaram molhados. Não leve a mão molhada à boca ou aos olhos. A limpeza das área afetadas deve ser feita com o preparo de uma solução de água sanitária (hipoclorito de sódio) e água.

Previsão do tempo mantém possibilidade de pancadas de chuva para esta sexta

A previsão do tempo dos institutos de meteorologia não apontam para mais um dia de temporal como o de quinta-feira (21) em Curitiba nesta sexta-feira (22), mas, pancadas de chuva ainda devem ocorrer, como nos últimos dias. A massa de ar presente está aquecida e úmida possibilitando a formação dos aglomerados de nuvens nas diversas áreas do Paraná. As chuvas mais fortes, acompanhadas de raios e rajadas de vento moderadas a fortes, preferencialmente se concentram entre a tarde até o início da noite.

Neste sábado (23) e no domingo (24), o dia deve ficar encoberto na Capital, porém as temperaturas não caem, e deve fazer calor, com máximas na casa dos 29ºC. Os últimos dias do mês, contudo, devem ter mudanças nas marcas, e as máximas podem ficar mais baixas a partir da terça-feira.

Afetados
As pancadas de chuva, por vezes fortes, vêm atingindo o Estado desde o início do verão. Nas últimas semanas causaram transtornos e destruição em alguns municípios. No final de semana passado, por exemplo, Guaratuba foi a cidade mais afetada. Alagamentos atingiram principalmente os bairros do Cohapar I, Cohapar II, Brejatuba, Centro e Carvoeiro e as localidades rurais de Cubatão e Limeira, afetando 5.500 pessoas em 1.200 residências. Em menos de 24 horas, choveu o equivalente a 20 dias, com um solo que já estava encharcado desde a sexta-feira e uma maré em alta.

DESTAQUES DOS EDITORES