Publicidade
Polêmica

Deputado do PSL chama aldeia de 'lixo urbano': "Quem gosta de índio, vá para a Bolívia"

Rodrigo Amorim (à direita) sorri ao exibir placa destruída em homenagem a Marielle
Rodrigo Amorim (à direita) sorri ao exibir placa destruída em homenagem a Marielle (Foto: Reprodução)

Eleito o deputado estadual mais votado do Rio de Janeiro, Rodrigo Amorim (PSL) polemizou nesta semana ao atacar verbalmente a Aldeia Maracanã, na capital carioca. Aliado do presidente Jair Bolsonaro, que tem trabalhado para esvaziar a Funai, Amorim afirmou que o terreno de 14,3 mil metros quadrados é um "lixo urbano" e defendeu uma "faxina" no local para "restaurar a ordem" - anteriormente, ele já havia utilizado o termo para defender a retirada de uma placa com o nome de Marielle Franco, que havia sido afixada sobre a placa 'Praça Floriano', em frente à Câmara Municipal do Rio.

Segundo Amorim, o espaço, onde moram diversas famílias indígenas, poderia servir como estacionamento, shopping, área de lazer ou equipamento acessório ao estádio do Maracanã, que fica logo ao lado da aldeia. "Como carioca, me causa indignação ver aquilo do jeito que está hoje. Quem gosta de índio que nvá para a Bolívia, que além de ser comunista ainda é presidida por um índio", afirmou o político.

Confira a reportagem completa sobre a polêmica, publicada pelo jornal O Globo

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES