MORTE NO LARGO da ordem

Deputados criticam silêncio de Greca

Deputados estaduais criticaram, na sessão de ontem da Assembleia Legislativa, o silêncio do prefeito Rafael Greca (DEM), sobre o caso de Mateus Silva Noga, de 22 anos, que morreu baleado em um confronto com a Guarda Municipal, no Largo da Ordem, centro histórico de Curitiba, no último final de semana. Os parlamentares questionaram o fato de Greca não ter se pronunciado sobre o tema até agora.
O confronto aconteceu no sábado. A guarda diz que foi chamada para controlar uma briga e que, quando a equipe chegou, foi recebida com garrafas e os agentes “reagiram à agressão”. O jovem baleado chegou a ser socorrido, mas morreu no hospital. Uma adolescente de 14 anos e uma mulher de 31 ficaram feridas. O guarda responsável pelos disparos foi afastado.
“Sete tiros nas costas de um jovem?”, questionou o deputado Galo (Podemos). Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia, o deputado Tadeu Veneri (PT), afirmou ter tido acesso a um vídeo com imagens do episódio. “Eu não quero aqui dizer que a responsabilidade é da Guarda Municipal. A responsabilidade é do prefeito Rafael Greca. Que não abriu a boca”, cobrou Veneri. “O prefeito Greca fala muito com o seu silêncio, sua ausência de manifestação nesse incidente”, disse. o deputado Goura (PDT).
Procurada, a prefeitura de Curitiba disse, através de sua assessoria, que não comentaria as declarações dos deputados. Em nota, a guarda afirmou que abriu sindicância sobre o caso.