Assembleia

Deputados propõem lei para barrar modelo de pedágio mais caro defendido pelo governo Bolsonaro

Pedágio: concessões atuais terminam em 2021; deputados querem lei para impedir modelo híbrido com cobrança de outorga
Pedágio: concessões atuais terminam em 2021; deputados querem lei para impedir modelo híbrido com cobrança de outorga (Foto: Geraldo Bubniak/AEN)

Deputados da Frente Parlamentar sobre o Pedágio da Assembleia Legislativa anunciaram hoje a intenção de barrar o novo modelo híbrido defendido pelo Ministério da Infraestrutura do governo Bolsonaro, que prevê a cobrança de outorga para as futuras concessões de rodovias do Estado, e segundo eles, resultaria em tarifas mais caras. Integrante da frente, o primeiro-secretário da Assembleia, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PSB), apresentou projeto que proíbe o governo do Paraná de celebrar convênios para a concessão de rodovias com outro critério que não a de menor tarifa. Segundo eles, caso seja mantido o modelo híbrido, as futuras concessões terão o mesmo problema de altas tarifas das atuais, por mais 30 anos.

Leia mais no blog Política em Debate