Desapontado por ficar no banco, Westbrook diz que está focado em ajudar os Lakers

Russell Westbrook não vive o seu melhor momento na carreira. Sob desconfiança no Los Angeles Lakers, o armador ficou no banco de reservas nos minutos finais do jogo contra o Indiana Pacers, na última quarta-feira, por decisão do treinador Frank Vogel. Nesta sexta, em entrevista à ESPN americana, ele falou sobre a sua situação na franquia.

"Fiquei desapontado por não ter voltado, mas estou mais desapontado por termos perdido o maldito jogo. Quero poder estar em quadra para ajudar meus companheiros de equipe e poder ajudar nosso time a vencer em jogos como esse, mas essa foi uma decisão que foi tomada", disse. Westbrook foi substituído por Malik Monk quando o relógio apontava para pouco menos de quatro minutos para o fim do duelo, no momento em que os Pacers venciam por 101 a 94.

Vogel recebeu um "sinal verde" para colocar o atleta no banco de reservas nos momentos em que entender ser necessário. Após a partida, o técnico justificou em rápidas palavras as suas razões: "Joguei com os caras que eu achava que iam ganhar o jogo".

A fase dos Lakers não é boa. As 22 vitórias e 23 derrotas os colocam apenas na oitava posição na Conferência Oeste, boa o suficiente para apenas se classificar para o play-in. Westbrook, por sua vez, reforçou seu foco em ajudar sua equipe.

"Em última análise, você tem que estar bem quando as coisas não vão bem, e eu estou bem. Fiz tudo o que me foi pedido aqui, e continuarei fazendo isso enquanto pudermos em direção ao nosso objetivo final, e isso é ganhar um campeonato. Aceitei tudo o que me foi pedido e tentei fazer o melhor que pude. Não sou eu quem define sobre se está funcionando ou se não está funcionando. Estou bem em sacrificar algumas das coisas que pude fazer neste jogo para vencer, porque essa é a parte mais importante deste jogo. Fiz tudo o que me pediram até agora", ressaltou.

Por jogar com LeBron James, Westbrook precisou adaptar seu jogo e ficar menos com a bola nas mãos. Seu tempo de jogo com a bola, por exemplo, é o menor desde sua temporada de segundo anista, em 2009-2010. Como resultado, sua média de pontos, 18,5 por jogo, também é a mais baixa desde aquele ano.

"Acho importante saber que parte do processo de estar em uma nova equipe é que haverá muitos altos e baixos e dificuldades ao longo de uma temporada. Tem sido um desafio nos últimos três anos, apenas tentando descobrir as coisas. Eu me apoio muito na minha fé para ser capaz de permanecer focado em meu emprego", afirmou.

Westbrook também aproveitou para dar uma leve cutucada no treinador. "Acho que a comunicação que o Vogel quer e como ele quer muda direto por causa das constantes mudanças na escalação. Todo mundo está tentando descobrir o que fazer e como fazer. Tento fazer o melhor que posso pelo time, e tudo o que me pedem em quadra. Acho importante saber que parte do processo de estar em uma nova equipe é que haverá muitos altos e baixos e dificuldades ao longo de uma temporada. O desafio é como ser a versão de mim mesmo para esse time. É isso que estou tentando descobrir", concluiu.